Tamanho do texto

O partido, contudo, dará liberdade para que os diretórios de São Paulo e Distrito Federal decidam a quem apoiarão no segundo turno

PSB apoiará Haddad, que busca cria frente democrática no segundo turno
Ricardo Stuckert
PSB apoiará Haddad, que busca cria frente democrática no segundo turno

Em reunião hoje o diretório nacional do PSB decidiu apoiar o candidato do PT, Fernando Haddad, no segundo turno na disputa presidencial. O PSB apoiará Haddad, contudo, mantendo-se neutro nos estados de São Paulo e Brasília, onde a legenda disputa o segundo turno das eleições para o governo.

Leia também: Jair Bolsonaro e Fernando Haddad se enfrentam no segundo turno para presidente

O apoio está condicionado ao compromisso por parte da candidatura petista da formação de uma frente ampla democrática. O PT já busca costurar esse acordo, e outros partidos, como o PDT e PSOL já foram procurados. Com 32 deputados federais eleitos, o PSB apoiará Haddad em uma eventual gestão do petista. 

No primeiro turno, o partido não declarou apoio formal a nenhuma candidatura. Era esperado que a legenda formasse coalizão com Ciro Gomes, mas, em um acordo de última hora com Lula, os socialistas optaram pela neutralidade.

Quanto à coalizão democrática, Haddad disse que está aberto a incorporar propostas de Ciro Gomes (PDT), terceiro lugar no primeiro turno, em seu programa de governo. Ele falou sobre o assunto após participar de reunião com governadores da Região Nordeste em um hotel na zona sul paulistana em que discutiu estratégias e propostas para a campanha.

Leia também: Fernando Haddad prega união e diz que "segundo turno é oportunidade de ouro"

“Eu conversei ontem com o Roberto Mangabeira Unger [representante de Ciro] e disse a ele que estaria aberto a incorporar propostas que fossem compatíveis com os princípios [do PT]. E não há incompatibilidade entre os programas”, disse.

Haddad destacou ainda que as diretrizes dos programas são similares, entre elas: soberania nacional, soberania popular, direitos trabalhistas e direitos sociais. “Enfim, os dois programas estão muito afinados”, acrescentou.

Candidato à Presidência que ficou em último lugar no primeiro turno das eleições, o filho do ex-presidente João Goulart, João Goulart Filho (PPL), declarou também apoio à candidatura de Fernando Haddad durante o segundo turno.

Segundo ele, apesar de diferir em "muitos pontos" do programa do PT, o "risco de uma nova ditatura" de um eventual governo de Jair Bolsonaro (PSL) é maior. Assim, o PSB apoiará Haddad , até o momento, ao lado de PPL, PROS e PSOL.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Haddad e Bolsonaro defendem Constituição e destacam projetos no Jornal Nacional

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.