Dias Toffoli assumiu a presidência do País pela primeira vez durante viagem de Michel Temer
Divulgação/Presidência da República
Dias Toffoli assumiu a presidência do País pela primeira vez durante viagem de Michel Temer

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e atual presidente da República interino , Dias Toffoli, afirmou nesta terça-feira (25) que o STF cumprirá seu papel de “garantir a constituição e a lei” durante e após concluído o processo eleitoral. Ele ainda acrescentou que ninguém desafiará a democracia no Brasil.

"Tenho certeza que todos os candidatos têm clareza que o respeito às regras do jogo faz parte da possibilidade de uma vitória em um eventual segundo turno. Ninguém vai se arriscar a desafiar a democracia no Brasil. Estamos atentos a defender a democracia no Brasil”, afirmou Dias Toffoli .

O ministro disse que o presidente da República a ser eleito este ano deverá dialogar com toda a sociedade. Para Toffoli, o clima de polarização social é normal na disputa eleitoral, mas não poderá ser refletido em sua conduta como chefe do Executivo nacional.

“Aquele que for eleito terá que dialogar com todos. Não tem outra situação possível. Seja com o Congresso Nacional, seja com o poder Judiciário, seja com os sistemas de controle, seja com a sociedade organizada, com a imprensa e com a comunidade internacional”, disse. “Temos diferenças sociais, diferenças regionais e ideológicas. Seja quem for o presidente da República eleito, ele saberá ser crismado na pluralidade”, completou.

Toffoli deu entrevista coletiva no Palácio do Planalto , à tarde. Ao chegar ao salão leste do segundo andar, cumprimentou os jornalistas um a um antes e, em seguida, respondeu a várias perguntas.

Você viu?

Leia também: Prisão de Lula 'dificilmente' será derrubada por recurso no STF, diz Toffoli

Dias Toffoli relembra tempos no Planalto

Dias Toffoli afirmou que voltar, desta vez como presidente da República, lhe causa alegria, mas provoca “frio na barriga”
Carlos Moura/SCO/STF
Dias Toffoli afirmou que voltar, desta vez como presidente da República, lhe causa alegria, mas provoca “frio na barriga”

Toffoli volta ao Palácio do Planalto após ter passado por lá como subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil, de 2003 a 2005. Ele afirmou que voltar, desta vez como presidente da República, lhe causa alegria, mas provoca “frio na barriga”.

“É uma alegria voltar ao palácio. Fui servidor aqui e nesses dois dias como presidente em exercício só encontrei amigos. Pessoas alegres e contentes com a nossa presença. Dá um frio na barriga, não vou mentir, mas, por outro lado, há uma emoção muito grande”.

Ele ainda agradeceu ao presidente Michel Temer por permitir que ele marcasse esse período de interinidade com medidas “muito positivas”. Dentre seus atos ontem (24) e hoje, Toffoli sancionou leis de acesso à educação e ampliou a licença-paternidade de integrantes das Forças Armadas de cinco para 20 dias.

“[Gostaria de] agradecer ao presidente Michel Temer a oportunidade de marcar essa interinidade com atos muito positivos. Em defesa da mulher, da infância e da juventude; em defesa da paternidade. Tive essa grata oportunidade de ter participado deste momento de dois dias no exercício da presidência. Com toda a responsabilidade e seriedade necessárias, mas com todo o apoio, que é necessário também”.

Dias Toffoli , que é o atual presidente do STF , fica na presidência da República interinamente até a noite desta terça-feira (25), quando Temer retorna de Nova York, onde acompanhou as atividades da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários