Com decisão do TSE de impedir Lula de concorrer com base na lei da Ficha Limpa, PT tem dez dias para substituir nome do titular da chapa e deve promover atual candidato à vice, Fernando Haddad
Divulgação
Com decisão do TSE de impedir Lula de concorrer com base na lei da Ficha Limpa, PT tem dez dias para substituir nome do titular da chapa e deve promover atual candidato à vice, Fernando Haddad

Em nota divulgada no início desta madrugada, antes mesmo do encerramento da votação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que indeferiu o registro da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PT informou que vai recorrer da decisão e que “continuará lutando por todos os meios para garantir sua candidatura nas eleições de 7 de outubro”.

Leia também: Por 6 votos a 1, TSE decide pela inelegibilidade da candidatura de Lula

O partido ainda classificou a decisão de “violência contra os direitos de Lula e do povo que quer elegê-lo presidente da República”. A manifestação do PT foi feita quando ainda votava a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, mas já com o placar de 6 a 1 , resultado que formava maioria contra a candidatura do ex-presidente.

Na nota, o partido diz que pretende apresentar “todos os recursos aos tribunais para que sejam reconhecidos os direitos políticos de Lula previstos na lei e nos tratados internacionais ratificados pelo Brasil” na tentativa de reverter a inelegibilidade do ex-presidente Lula.

O comunicado diz ainda que pretende defender o candidato nas ruas, “junto com o povo, porque ele é o candidato da esperança" e questiona lembrando que "em 2016, 145 candidatos a prefeito disputaram a eleição sub judice, com registro indeferido, e 98 foram eleitos e governam suas cidades. É só para Lula que a lei não vale?

Nas redes socias, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann também comparou a situação de Lula a de outros candidatos que também tiveram seus registros questionados como é o caso do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, do PSDB, e afirmou que o prazo para a defesa de Lula foi desrespeitado.

Você viu?

Leia também: TSE rechaça ação de Meirelles e aprova candidatura de Geraldo Alckmin

Programa eleitoral do PT

Vice de Lula, Fernando Haddad teve destaque no primeiro vídeo da campanha do PT à Presidência
Reprodução/Youtube/PT
Vice de Lula, Fernando Haddad teve destaque no primeiro vídeo da campanha do PT à Presidência

Além da nota, o PT também divulgou na página do partido o primeiro vídeo do programa eleitoral de Lula, acompanhado do título “O vídeo de Lula que Barroso não quer que o Brasil assista”.

No voto do relator Luís Roberto Barroso, acompanhado pela maioria dos ministros, o partido fica proibido de fazer campanha por Lula e ganha prazo de 10 dias para trocar a candidatura. Após o advogado do PT recorrer durante o próprio julgamento, no entanto, ficou definido que Lula poderá aparecer na propaganda, apenas não como candidato.

Vale ressaltar que segunda determinam as regras do TSE, nessas eleições o candidato do partido deve estar presente em 75% do tempo da propaganda eleitoral gratuita na televisão e no rádio.

Leia também: Candidatos arrecadam R$ 109,2 milhões nas primeiras duas semanas de campanha

Dessa forma, agora, Lula não poderá ocupar tanto tempo na propagando do PT . O partido deverá substituir o nome de Lula pelo de seu atual candidato à vice, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e mostrar o ex-presidente como seu padrinho político numa tentativa de fazer a chamada "transferência de votos". A propaganda eleitoral no rádio e na TV dos candidatos a presidente começa neste sábado (1º).

*Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários