O jurista Hélio Bicudo, um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, morreu nesta terça-feira em São Paulo
iG São Paulo - 03.12.2015
O jurista Hélio Bicudo, um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, morreu nesta terça-feira em São Paulo

O jurista Hélio Bicudo, que foi fundador do Partido dos Trabalhadores (PT) – e um dos responsávei pelo pedido de impeachment que levou à queda de Dilma Rousseff no poder –, morreu nesta terça-feira (31), aos 96 anos, na capital paulista. 

Leia também: “Não conseguirão nos derrotar”, diz Lula em carta lida na convenção do PT em SP

De acordo com o jornal a Folha de São Paulo , o advogado estava com a saúde frágil desde 2010, quando sofreu um AVC. O quadro de saúde deste, que é um dos homens mais importantes para a história do Partido dos Trabalhadores , piorou com a morte de sua mulher Déa Pereira Wilken Bicudo, em março deste ano, após 71 anos de casamento.

Leia também: Em um dia, PT arrecada mais de R$ 37 mil em 'vaquinha' para campanha de Lula

Ativista na área dos direitos humanos, Hélio Bicudo ganhou notoriedade ao combater o Esquadrão da Morte, organização paramilitar dos anos de 1970, sendo depois presidente da Fundação Interamericana de Defesa dos Direitos Humanos.

Bicudo nasceu em Mogi das Cruzes, município localizado na Grande São Paulo. Durante sua juventude, foi aluno da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (São Francisco - USP), na turma que encontrou na faculdade no ano de 1946.

Você viu?

A sua família ainda não divulgou o local onde acontecerá o seu velório. Patriarca de uma grande família, Bicudo deixa sete filhos, netos e bisnetos. Quatro dos seus filhos são homens e três deles são mulheres.

Em 1986, Bicudo se filiou ao PT e foi candidato ao Senado. Ele foi secretário de Negócios Jurídicos do município de São Paulo na gestão da ex-prefeita Luiza Erundina entre 1989 e 1990, quando se elegeu deputado federal pelo mesmo partido.

Leia também: PT promove ato político com líderes do partido na vigília permanente em Curitiba

O advogado também foi vice-prefeito de São Paulo na gestão de Marta Suplicy, então filiada ao Partido dos Trabalhadores , de 2001 a 2005. O jurista anunciou sua desfiliação do PT em 2005, durante as investigações do caso conhecido como mensalão.

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários