Tamanho do texto

Manifestação deste domingo (8) contou com a presença dos senadores Lindbergh Farias e Gleise Hoffmann, que também é presidente do partido

Ato político do PT em Curitiba
Benildes Rodrigues
Ato político do PT em Curitiba

O Partido dos Trabalhadores (PT) promoveu um ato político neste domingo (8) em protesto à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A manifestação aconteceu junto à vigília permanente em frente à sede da Polícia Federal (PF) em Curitiba.

Leia também: Governadores do Nordeste se organizam para visitar Lula em Curitiba

A manifestação contou com a presença dos senadores Lindbergh Farias e Gleise Hoffmann, que também é presidente do partido. Os deputados Pedro Uczai, Luizianne Lins, Marco Maia, Dr. Rosinha e Décio Lima também estiveram no evento organizado pelo PT . A cantora Ana Cañas realizou um show durante o ato.

Durante o protesto, Gleise fez um pronunciamento para os manifestantes. A senadora garantiu que a vigília não vai terminar enquanto Lula não for solto. "Muda o cotidiano das pessoas. Quero pedir desculpas por isso, mas dizer que nós não vamos sair daqui enquanto não sairmos com o presidente Lula", afirmou. 

Leia também: 'Moro tem uma mente doentia', disse Lula em vídeo divulgado hoje pelo PT; veja

Por conta da vigília, que acontece desde o último sábado (7), quando Lula chegou à Superintendência da PF, o policiamento no entorno do local foi reforçado. Segundo a Polícia Militar (PM), a decisão foi tomada após a informação de que estavam sendo organizadas caravanas de militantes para a cidade.

Na chegada do ex-presidente ao prédio da PF, confrontos deixaram ao menos nove feridos, entre os quais três crianças. Manifestantes acusaram a PM de ter agido com violência, enquanto o comando da polícia diz que o tumulto teve início quando duas explosões ocorreram na manifestação pró-Lula. Logo após tais explosões, a PF lançou as primeiras bombas de efeito moral sobre os manifestantes, que reagiram com revolta antes de se dispersarem.

Leia também: Após suposto ataque químico, rebeldes de rendem na Síria

Também de acordo com o comando PM, todos os apoiadores do líder do PT que se machucaram tiveram apenas ferimentos leves e foram imediatamente atendidos no local. Três delas tiveram de ser encaminhadas ao Hospital Evangélico e, entre os que foram para o hospital, está uma criança que bateu a cabeça. 

    Leia tudo sobre: Lula