Filiado à Rede, global agradeceu convite e apontou outros nomes interessantes para a chapa com Marina Silva
Estevem Avellar/ Globo/ Divulgação
Filiado à Rede, global agradeceu convite e apontou outros nomes interessantes para a chapa com Marina Silva

O ator Marcos Palmeira declinou o convite de ser vice na chapa com Marina Silva, apesar de ter “pensado sobre o assunto”, segundo reportagem da Folha de S. Paulo. O global é filiado à Rede, partido da pré-candidata, e apoiou a candidatura dela nas eleições de 2010 e 2014.

Leia também: Deputados deixam Rede, e Marina corre risco de ficar de fora de debates na TV

Para a Folha , Marcos Palmeira disse ter ficado “super-honrado” em ter sido cogitado para a chapa da Rede, mas que “não é o momento”. “Estou apoiando Marina Silva , mas não tenho pretensão de ocupar o cargo”, afirmou o ator.

Palmeira é ligado à causa ambiental e produtor de alimentos orgânicos. Além dele, há outros nomes sendo apontados como possíveis vices de Marina, entre eles o presidente do Flamengo, também filiado ao partido, Eduardo Bandeira de Mello.

Você viu?

A pré- candidata da Rede está em busca de um companheiro tanto dentro quanto fora do seu partido. Caso a aliança com o Partido Verde seja concretizada, o nome de Eduardo Jorge – ex-candidato à presidência – é um dos cogitados para o cargo. Inclusive, o ator defende que o político do PV seria “incrível e teria muito a colaborar”.

Vale lembrar que Eduardo Jorge defende a aliança com a presidenciável. A Rede ofereceu ao PV a vaga de vice, mas ainda não teve resposta sobre o convite.

Marina Silva nas pesquisas eleitorais

Bolsonaro e Marina estão empatados tecnicamente na disputa presidencial, segundo pesquisa do Ibope em junho
iG Arte - Reprodução/Instagram
Bolsonaro e Marina estão empatados tecnicamente na disputa presidencial, segundo pesquisa do Ibope em junho

A candidata da Rede nas eleições de 2018 apresentou crescimento na última pesquisa CNI/Ibope, divulgada no final de junho deste ano. Os resultados do estudo mostraram Marina e Jair Bolsonaro (PSL-RJ) tecnicamente empatados na disputa .

Segundo o levantamento, o candidato do PSL estaria à frente, com 17%, enquanto a ex-ministra do Meio Ambiente apresenta 13% das intenções de voto. Mas, com a margem de erro, ambos alcançam em torno de 15%, o que marca o empate técnico. Nesse cenário foi considerado o nome de Luiz Inácio Lula da Silva, que segue na liderança com 33% dos votos.

Vale destacar que tanto Bolsonaro quanto Marina Silva têm intenção de voto abaixo dos brancos e nulos, que marcam 33%. Ainda no cenário sem Lula, Ciro Gomes (PDT) aparece com 8%, Geraldo Alckmin com 6%, seguidos de Álvaro Dias (Podemos) com 3%, seguido pelo ex-presidente Fernando Collor (PTC), com 2%, e por Haddad, também com 2%.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários