Gilmar Mendes critica 'canonização' da operação Lava Jato
Nelson Jr./TSE - 19.12.17
Gilmar Mendes critica 'canonização' da operação Lava Jato

Para Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, a operação Lava Jato é tratada de forma desequilibrada pela sociedade e pela imprensa brasileira. O juiz do STF criticou, em um evento jurídico em Londres, o que chama de “canonização” da investigação. A informação é do jornal O Estado de São Paulo .

Leia também: CCJ da Câmara aprova projeto que impede ministro do STF de suspender lei

“Em um momento houve a canonização da Lava Jato. Então, qualquer decisão contra a ação do (juiz Sérgio) Moro era considerada antirrepublicana, antipatriótica ou ‘antiqualquercoisa’, o que é uma bobagem”, avaliou. Em seguida, Gilmar Mendes critica também a crença de que a operação é infalível.

“A Lava Jato começou a pensar que era uma entidade, quis legislar, mudar habeas corpus e outras coisas. Depois se viu que eles eram suscetíveis a problemas sérios e que a corrupção estava ali perto, como o caso (do ex-procurador Marcello) Miller”, lembrou Mendes.

Gilmar Mendes critica Lava Jato; ministros criticam Gilmar Mendes

Já há algum tempo o Supremo Tribunal Federal (STF) está no epicentro da crise política que, desde 2016, tomou o país. Nos últimos dias, ministros da casa vieram a público para responder – ou reforçar – as críticas e as pressões direcionadas a mais alta instância da Justiça brasileira.

Você viu?

Leia também: Sérgio Moro diz ter se 'equivocado' ao impor tornozeleira a José Dirceu

Os comentários mais recentes vieram do ministro Luís Roberto Barroso. Carioca, alinhado a pautas progressistas como a descriminalização do aborto e das drogas, e considerado um apoiador dos procedimentos da operação Lava Jato no STF, Barroso foi duro ao apontar o que, para ele, é o principal  problema do STF .

“É juiz que faz favor e acha que o poder existe não para fazer o bem e a justiça, mas para proteger amigos e perseguir inimigos”, disse ao jornal  Folha de S.Paulo .

O comentário pode ser interpretado como uma indireta ao ministro Gilmar Mendes . Além de Barroso e Mendes já terem protagonizado momentos tensos no plenário do STF, com ataques grosseiros de ambos os lado, nas últimas semanas o ministro Gilmar Mendes critica procuradores e mandou soltar diversos empresários e políticos envolvidos na Lava Jata.

Leia também: Dias Toffoli arquiva inquérito contra o deputado tucano Bruno Araújo

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários