Tamanho do texto

Após Cristiane Brasil ser impedida pela Justiça de assumir ministério do Trabalho e depois de ministro ser afastado pelo Supremo Tribunal Federal, PTB de Roberto Jefferson enfim desiste de ocupar a pasta

Após novo escândalo, PTB de Roberto Jefferson abriu mão de ministério do Trabalho
Valter Campanato/Agência Brasil - 7.6.17
Após novo escândalo, PTB de Roberto Jefferson abriu mão de ministério do Trabalho

Uma das condições para que o PTB apoiasse o impeachment de Dilma Rousseff (PT) era que a legenda ficasse com o ministério do Trabalho. Michel Temer acatou o pedido, mas, após uma série de controvérsias, que resultaram no afastamento do ministro Helton Yomura da pasta pelo Supremo Tribunal Federal, o partido comandado por Roberto Jefferson comunicou ao Planalto que abre mão do ministério, deixando seu futuro à disposição de Temer.

Leia também: PF apreende documentos e R$ 5 mil no gabinete de deputado do PTB

Após deflagrado o escândalo, PTB e Jefferson assinaram uma nota sobre o tema. "Pessoalmente, insisto: não participei de qualquer esquema espúrio no Ministério do Trabalho. E acrescento que minha colaboração restringiu-se a apoio político ao governo para que o partido comandasse a pasta", escreveu o líder da legenda.

Os problemas com a Justiça começaram antes da chegada de Yomura ao ministério. Roberto Jefferson , famoso por seu envolvimento no caso do chamado “mensalão”, pretendia emplacar sua filha, Cristiane Brasil, no cargo. Descobriu-se, contudo, que Brasil tinha dívidas trabalhistas pendentes com seus funcionários, e sucessivas liminares judiciais acabaram a impedindo de assumir a pasta.

O constrangimento gerado pelo caso não foi o bastante para o PTB desistir da pasta. O partido, que curiosamente traz “trabalhista” no nome mas apoiou as reformas de Temer que penalizam o trabalhador, queria manter sua influência no ministério do Trabalho, um dos mais poderosos da Esplanada.

Leia também: Operação da PF leva o STF a afastar ministro do Trabalho por fraudes na pasta

Com novo escândalo, PTB perde influência

Uma operação da Polícia Federal que investiga a possível existência de uma organização criminosa que atuava na concessão fraudulenta de registros sindicais no Ministério do Trabalho foi o que levou à queda de Yomura da pasta. O ex-ministro, que ocupava interinamente a cadeira, foi afastado por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo a Polícia Federal, Yomura agia como "testa de ferro" dos interesses da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) e de seu pai, Roberto Jefferson (PTB-RJ). Ainda de acordo com a PF, Yomura agia ativamente para realizar e coordenar desvios na pasta.

Essa é a terceira fase da Operação Registro Espúrio . Os policiais federais cumprem desde cedo dez mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária, em Brasília e no Rio de Janeiro. Os mandados foram todos expedidos pelo Supremo. Um dos mandados de busca e apreensão ocorre no gabinete do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP). O chefe do gabinete de Marquezelli foi preso. Com o escândalo, PTB perderá influência no ministério do Trabalho.

Leia também: PF cumpre mandados de prisão na sede da Philips em nova fase da Lava Jato