Tamanho do texto

Ex-presidente Lula agradeceu em carta ao empenho do MST por sua liberdade e candidatura; militantes seguem acampados em Curitiba

Manifestantes do MST bloqueiam rodovias em vários estados do Brasil em protesto à prisão de Lula
MST/ Reprodução Facebook
Manifestantes do MST bloqueiam rodovias em vários estados do Brasil em protesto à prisão de Lula

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enviou uma carta ao Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra ( MST ). A missiva foi entregue à João Pedro Stédile, líder do movimento.

Leia também: Lula lidera corrida presidencial no estado de São Paulo, aponta Ibope

Datada do dia 23 de março, na carta Lula agradece ao apoio que tem recebido do movimento e os conclama a seguir lutando contra as injustiças. O líder petista também se mostra otimista quanto ao desfecho do momento atual, afirmando que eles sairão “maiores e mais fortes” e que estão “do lado certo da história”.

Leia, abaixo, a íntegra da carta de Lula ao MST :

" Meus queridos companheiros do MST,

Sei que muitas das vozes que me desejam um “bom dia” todas as manhãs são vozes dos companheiros e companheiras do Movimento Sem Terra. O MST, mais do que ninguém, sabe o que é sentir na pele a dor da injustiça, da perseguição, dos processos fabricados e manipulados, e das inúmeras prisões e mortes de companheiros que lutam pela terra e por uma vida digna.

A dedicação, a solidariedade e o carinho que vocês demonstraram nas caravanas que realizamos pelo Brasil continuam firmes e fortes depois de todas as arbitrariedades cometidas contra mim. Eu tenho certeza que todos nós sairemos maiores e mais fortes desta situação. Nós estamos do lado certo da história. 

A todos vocês que acreditam na minha inocência e lutam contra a injustiça, serei sempre grato. 

Um abraço fraterno. Luiz Inácio Lula da Silva "

Leia também: Marco Aurélio libera para votação ações no STF sobre prisão após 2ª instância

STF tira delações contra Lula das mãos de Moro

A segunda turma do Supremo Tribunal Federal ( STF ) decidiu, nesta terça-feira (24), retirar da alçada do juiz Sergio Moro trechos das delações da Odebrecht em que é citado o ex-presidente  Luiz Inácio Lula da Silva (PT) .

Os ministros entenderam que não cabe ao juiz investigar supostos crimes que não têm relação com a Petrobras , que é o foco da operação Lava Jato. As delações, assim, seguirão para a Justiça de São Paulo.

No entendimento três ministros – Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowiski -, não ficou demonstrado como o suposto favorecimento que Lula teria recebido nos dois casos se relaciona com a corrupção na petroleira.

“Ainda que o Ministério Público possa considerar que pagamentos teriam origem em fraude na Petrobras, não há demonstração desse liame nos autos”, manifestou-se Toffoli.

Leia também: CNJ adia análise de ação contra Moro por grampo de conversa entre Lula e Dilma

    Leia tudo sobre: lula