Tamanho do texto

Irmãos são acusados pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa; ação é relacionada ao 'bunker' com R$ 51 milhões achado pela PF

Dinheiro encontrado em
Divulgação/Polícia Federal
Dinheiro encontrado em "bunker" de Geddel Vieira Lima em Salvador: R$ 51 milhões

A denúncia contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), seu irmão, o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), e sua mãe, Marluce Vieira Lima, será julgada no próximo dia 8 de maio pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). Os três são acusados pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa .

O ex-assessor parlamentar Job Brandão, que atuou no gabinete do deputado, também é acusado dos mesmos crimes na denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República (PGR). A investigação está relacionada à apreensão, pela Polícia Federal (PF), dos R$ 51 milhões em dinheiro vivo dentro de um apartamento em Salvador e que foram atribuídos a Geddel Vieira Lima .

O ex-ministro foi preso no dia 8 de setembro do ano passado, três dias depois que a PF encontrou o dinheiro no imóvel de um amigo do político. Os valores apreendidos foram depositados em conta judicial.

Segundo a Polícia Federal, parte do dinheiro seria resultante de um esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal no período entre 2011 e 2013, quando Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica da instituição.

Leia também: TJ-MG julga hoje mais um recurso do ex-governador tucano Eduardo Azeredo

A defesa de Geddel sustenta que a origem dos R$ 51 milhões decorre da "simples guarda de valores em espécie". Segundo a defesa, os valores são fruto de "investimentos no mercado de incorporação imobiliária, com dinheiro vivo".

Geddel no ‘vale dos leprosos’

O ex-ministro de Michel Temer voltou a negar, em depoimento prestado à Justiça, que tenha tentado intimidar a esposa de Lúcio Funaro, Raquel Pitta, para evitar que o lobista firmasse acordo de delação premiada.

"Esses telefonemas amigáveis devem ter feito bem à senhora Raquel Pitta. Digo isso porque vejo hoje que amigos, pessoas, de longa data me lançaram em um vale dos leprosos", afirmou Geddel.

Leia também: Ministros do STF admitem possível liberdade e candidatura de Lula

Geddel Vieira Lima  responde por tentativa de embaraço à Justiça nessa outra ação penal, que entrou em sua reta final. Ele foi acusado de praticar "intimidação indireta" contra Funaro por meio de seguidas ligações telefônicas para a esposa do lobista, Raquel Pitta.

* Com informações da Agência Brasil