Tamanho do texto

Sem licitação, governo de SP contratou pintor para retratar ex-governador José Serra (PSDB); obra será exposta no Palácio dos Bandeirantes

José Serra será retratado pelo pintor Gregório Gruber; obra sairá por R$ 85 mil, custeada pelo estado de São Paulo
José Serra
José Serra será retratado pelo pintor Gregório Gruber; obra sairá por R$ 85 mil, custeada pelo estado de São Paulo

O senador tucano José Serra receberá uma homenagem, ganhando um retrato seu na galeria dos ex-governadores de São Paulo. Chama a atenção, contudo, o custo da honraria: os cofres do estado dispenderão R$ 85 mil para custear a produção da obra. A informação é do portal Poder 360 .

Leia também: Rede protocola novo pedido de impeachment de Michel Temer na Câmara

José Serra , que governou o estado entre 2007 e 2010, será retratado pelo pintor santista Gregório Gruber , famoso por pintar paisagens urbanas de São Paulo. De acordo com o Diário Oficial do estado divulgado nesta quarta-feira (18), a contratação da obra foi feita sem a realização de uma licitação pelo governo.

Quando terminado, o retrato ficará exposto em uma galeria no Palácio dos Bandeirantes onde estão retratados outros ex-governadores. O prazo de Gruber para entregar o trabalho é de 170 dias.

Serra não concorre ao Bandeirantes

Abrindo caminho para a ascensão política de João Doria (PSDB), o senador José Serra anunciou em janeiro que não será candidato ao governo de São Paulo nas eleições de 2018.

Coincidência ou não, a opção de Serra por não concorrer ao governo foi tomada semanas após uma nova delação premiada envolvendo seu nome vir à tona.

Leia também: Justiça nega pedido de Nobel da Paz para visitar Lula na prisão

O ex-presidente da Odebrecht, Pedro Novis, que esteve à frente da empresa entre 2002 e 2008, disse, em acordo de delação premiada, que o senador solicitou R$52,4 milhões à construtora. Os pedidos foram supostamente feitos, e atendidos, entre 2002 e 2012, e se destinavam a José Serra e seu partido, o  PSDB .

A assessoria do senador afirmou que ele jamais recebeu propinas ou doações indevidas de qualquer origem. Ainda, disse que José Serra nunca trabalhou para favorecer a Odebrecht nos cargos em que ocupou no governo de São Paulo.

Em nota, a assessoria de Serra concluiu, por fim, que as acusações são antigas e que o depoimento foi “requentado” pelo Ministério Público, presumivelmente para atingir o senador.

Leia também: Ideal é que Aécio Neves não seja candidato, defende Geraldo Alckmin