Tamanho do texto

Na quarta-feira (11), STF deve iniciar julgamento sobre validade de prisão após condenação em segunda instância, o que pode beneficiar Lula; membros do PT realizarão atos diários em frente ao prédio da PF

Ato político do PT em Curitiba
Benildes Rodrigues
Ato político do PT em Curitiba

O PT deve mudar a sede do partido de São Paulo para Curitiba enquanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estiver preso no prédio da Polícia Federal na cidade. O petista cumpre, desde sexta-feira (6), a pena de 12 anos e um mês de prisão a que foi condenado pelo Tribunal Federal de Recursos da 4ª Região (TRF4), por corrupção e lavagem de dinheiro.

Leia também: Vaza áudio de voo de Lula a Curitiba: "manda esse lixo janela abaixo aí"

Membros da cúpula do partido estão reunidos nesta segunda-feira (9) para acertar detalhes da mudança da sede. Está em discussão, também, os caminhos que o PT tomará nas eleições de outubro e as estratégias de atos e manifestações em favor do líder agora preso.

De acordo com o deputado Paulo Teixeira (SP), membro da executiva do partido, outros temas em pauta são a possibilidade de parlamentares e ocupantes de outros cargos políticos visitarem Lula na sede da Superintendência da Polícia Federal (DF) no Paraná, onde ele está preso, e a expectativa de o Supremo Tribunal Federal (STF) reverter a prisão do ex-presidente.

“A esperança nossa agora é o Supremo consertar esse erro judicial que está sendo cometido”, disse Teixeira.

O partido, também, reafirmou que manterá a pré-candidatura de Lula à Presidência da República.

Também marcaram presença no encontro a senadora Gleisi Hoffmann (PR), os líderes do partido na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta (RS), e no Senado, Lindbergh Farias (RJ).

Enquanto o partido está reunido, a previsão é que o advogado Cristiano Zanin visite Lula na Superintendência da PF.

Atos em apoio ao ex-presidente

Gleisi Hoffmann, presidente do PT, destacou que haverá uma programação a cada dia nas redondezas do prédio onde Lula está preso.

Leia também: Grupos pró-Lula agendam atos para pressionar STF a mudar prisões na 2ª instância

“Amanhã (10) são dez governadores confirmados, governadores do nordeste, de Minas Gerais. Eles vão fazer uma visita à superintendência da Polícia Federal e tentar visitar o presidente  Lula . Tem muita gente querendo vir,  Pepe Mujica  quer visitar o presidente, personalidades internacionais. Estamos organizado isso com os advogados, também com a direção da Polícia Federal e o ministro da Defesa, Raul Jungmann”.

 “Esperamos que seja somente até quarta-feira, mas, se não, teremos atividade até o final da semana”, disse Gleisi .

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Em acampamento em defesa de Lula, homem ofende Manuela D´Ávila

    Leia tudo sobre: lula