Tamanho do texto

Camilo Santana, do Ceará, foi quem sugeriu a visita ao ex-presidente; apenas Paulo Câmara, de Pernambuco, ainda não confirmou presença no encontro

Ex-presidente Lula recebeu sentença de 12 anos e um mês no caso tríplex da Operação Lava Jato após julgamento
TVT/ Reprodução
Ex-presidente Lula recebeu sentença de 12 anos e um mês no caso tríplex da Operação Lava Jato após julgamento

A maior parte dos governadores do Nordeste têm a intenção de visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na carceragem da Polícia Federal em Curitiba (PR). O encontro deve acontecer na próxima terça-feira (10). O horário ainda não foi confirmado. 

Leia também: 'Moro tem uma mente doentia', disse Lula em vídeo divulgado hoje pelo PT; veja

Camilo Santana (PT), governador do Ceará, foi quem sugeriu a visita ao ex-presidente Lula . Dos nove governadores da região, somente Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco, ainda não confirmou presença no encontro.

Os demais governadores que devem marcar presença são, Rui Costa (PT), da Bahia, Jackson Barreto (MDB), de Sergipe, Flávio Dino (PC do B), do Maranhão, Renan Filho (MDB), de Alagoas, Ricardo Coutinho (PSB), da Paraíba, Robinson Faria (PSD), do Rio Grande do Norte, e Wellington Dias (PT), do Piauí.

A prisão de Lula

Sob ordem de prisão do juiz Sérgio Moro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se entregou à Polícia Federal no último sábado (7). Sua prisão foi decretada na última quinta-feira, mas, desde então, o petista encontrava-se no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Ele teve que sair do local a pé.

Leia também: Após suposto ataque químico, rebeldes se rendem na Síria

Lula  deveria se entregar à polícia após a missa em homenagem à Marisa Letícia, mas só deixou o sindicato às 18h50 deste sábado. O ex-presidente teve dificuldades para sair do local e se entregar à Polícia Federal porque militantes impediram a sua saída, às 17h de hoje, dentro de um carro. Ele precisou deixar o sindicato a pé após essa primeira tentativa frustrada.

Durante as manifestações ocorridas após a chegada de Lula à sede da PF, ao menos nove pessoas ficaram feridas. Segundo informações divulgadas, três dos feridos são crianças. Além disso, um policial militar também se machucou na confusão. Os demais feridos são militantes favoráveis ao ex-presidente, que participavam de manifestações contrárias à prisão. 

Leia também: Incêndio na Trump Tower deixa ao menos um morto em Nova York

O tumulto teve início, segundo o comando da Polícia Militar (PM), quando duas explosões ocorreram na manifestação a favor de Lula . Logo após tais explosões, a PF lançou as primeiras bombas de efeito moral sobre os manifestantes, que reagiram com revolta antes de se dispersarem.

    Leia tudo sobre: Lula