Tamanho do texto

"Eu tô muito mais tranquilo hoje do que em 1980, muito mais tranquilo", disse o petista, relembrando a primeira vez em que ficou atrás das grades

Em vídeo divulgado nesse domingo, o ex-presidente Lula defendeu sua inocência e acusou Moro de ter uma mente doentia
Divulgação/Lula
Em vídeo divulgado nesse domingo, o ex-presidente Lula defendeu sua inocência e acusou Moro de ter uma mente doentia

O Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou, no início da tarde deste domingo (8), um vídeo gravado pelo ex-presidente Lula no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, Grande São Paulo. A gravação mostra Lula enviando uma mensagem aos seus apoiadores e criticando diretamente o juiz federal Sérgio Moro

Leia também: Lula passa primeira noite preso e militância promete vigília na sede da PF

"Eu tô muito de bem com a minha consciência", disse o ex-presidente Lula . "Eu duvido que o Moro durma o sono que eu durmo", afirmou. "Ele deve estar com a consciência pesada", completou.

Não ficou claro em que momento a gravação foi feita, mas o vídeo foi produzido após o juiz federal determinar a prisão do ex-presidente, na última quinta-feira (5), e antes de Lula se entregar, deixando o Sindicato dos Metalúrgicos, nesse sábado (8). Na gravação, Lula chega a comentar que ainda não havia decidido 'o que iria fazer', ou seja, como e se iria se entregar à Polícia Federal, conforme havia autorizado Sérgio Moro.

Leia também: Lula é o primeiro ex-presidente da República preso por crime comum no Brasil

"Eu sabia que o impeachment da Dilma não era para parar na Dilma", disse Lula. "Eles não queriam mais que o PT pudesse voltar", analisa, buscando compreender o motivo para a determinação de sua prisão, já que defende sua inocência.

"Eu tô muito tranquilo, muito tranquilo", repetia o ex-presidente, enquanto lembrava da outra vez em que foi preso, há 38 anos. Na ocasião, as circunstâncias eram totalmente diferentes: foi durante uma greve de trabalhadores por aumento salarial que já durava 17 dias. O Brasil estava sob ditadura militar e prisões arbitrárias eram comuns na época. "Eu tô muito mais tranquilo hoje, do que em 1980, muito mais tranquilo", continuou. 

Sonho de consumo de Sérgio Moro

Para o petista, a prisão que ocorreu nesse sábado e a ordem dela, expedida na última quinta-feira, são fruto de uma perseguição e de uma "alucinação" do juiz Sérgio Moro. No vídeo divulgado nesse domingo, Lula afirmou ainda que o magistrado tem "uma mente doentia".

"Eu sou o sonho de consumo do Moro", definiu. Lula afirmou ainda que os motivos para Moro querer prendê-lo são três: "Vaidade pessoal.... vaidade, quem sabe, subordinação à Rede Globo de televisão – porque a Globo é quem manda hoje na Lava Jato – e a vontade de tirar a fotografia minha preso", concluiu.

Leia também: Pré-candidatos à presidência repercutem prisão do ex-presidente Lula

"Eu acho que deve acontecer alguma coisa juridicamente para que essa alucinação [seja contida], essa doença... porque é uma mente doentia do Moro", acusou o ex-presidente Lula .

    Leia tudo sobre: lula