Tamanho do texto

Levantamento, que ouviu 2 mil pessoas, foi realizado entre os dias 22 e 25 de março; 14% aprovam a atuação do governo na área da Segurança Pública

Governo Temer passou a priorizar a segurança pública para reverter impopularidade de Michel; ainda não há resultados
Beto Barata/PR - 20.3.18
Governo Temer passou a priorizar a segurança pública para reverter impopularidade de Michel; ainda não há resultados

Em linhas gerais, a avaliação do governo do presidente Michel Temer oscilou muito pouco entre os meses de dezembro do ano passado e março deste ano. Porém, alguns dados devem ser destacados da pesquisa CNI/Ibope divulgada na manhã desta quinta-feira (5). O levantamento sobre o governo Temer foi feito antes da deflagração pela Polícia Federal da Operação Skala, que prendeu amigos do presidente.

Leia também: Mesmo com intervenção, Temer segue sendo o presidenciável mais odiado do Brasil

A reprovação do governo caiu de 74% para 72%, queda que se deu dentro da margem de erro da pesquisa – que é de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Da mesma forma, a avaliação do governo Temer como ótimo ou bom foi de apenas 5%, um ponto a menos que o registrado em dezembro, quando estava em 6%. Já o percentual dos que avaliam o governo como 'regular' ficou em 21%.

Esse levantamento do Ibope, encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), foi realizado entre os dias 22 e 25 de março e ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios. O nível de confiança da pesquisa, ou seja, a chance dela retratar a realidade, segundo a CNI, é de 95%.

Aprovação – ou melhor, desaprovação – por áreas

A pesquisa divulgada nesta quinta levantou ainda um outro tópico relevante para a avaliação do governo de um presidente que cogita a reeleição: a aprovação em cada área de atuação do governo federal.

Leia também: Temer vê aprovação subir, mas ainda é rejeitado por 74% da população, diz Ibope

Por exemplo, o atual carro-chefe do governo, a área da Segurança Pública, recebeu uma série de ações nos últimos meses. Porém, apenas 14% da população, segundo levantamento, aprovaram as ações de Temer nessa área. Em compensação, 84% dos entrevistados as desaprovam. 

Já na área da Educação, 18% aprovam as atitudes federais na área, em detrimento dos 80% que as desaprovam. Quando se fala em Saúde, ainda, o panorama é semelhante: 87% desaprovam o que o governo fez pela Saúde do Brasil, enquanto que 12% aprovam.

As taxas de juros são aprovadas por 10% e desaprovadas por 85% dos entrevistados. E as ações de combate ao desemprego agradam 13%, enquanto desagradam 85%. Nem mesmo a questão do controle da inflação, tão abordado pelo governo Temer , ganhou a aprovação da população: 80% desaprova o que foi feito, enquanto 16% aprova. 

Leia também: PMDB oficializa troca de nome e diz que "cumpriu com seu dever" no impeachment