Tamanho do texto

"Serão testados valores como a democracia e a integridade de nossas instituições", disse tenente-brigadeiro Nivaldo Rossato em nota de apoio à manifestação do general Villas Bôas sobre julgamento do recurso de Lula

Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Rossato é o comandante da Força Aérea Brasileira (FAB)
Divulgação/FAB
Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Rossato é o comandante da Força Aérea Brasileira (FAB)

O comandante máximo da Força Aérea Brasileira (FAB), tenente-brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, divulgou nota nesta quarta-feira (4) na esteira da polêmica manifestação do general Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército , acerca do julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) que definirá se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve ou não ser preso.

"O Brasil amanhece hoje prestes a viver um dos momentos mais importantes da sua história. Hoje serão testados valores que nos são muito caros, como a democracia e a integridade de nossas instituições. Instituições essas que têm seus papéis muito bem definidos no arcabouço legal da Nação", disse o comandante da Força Aérea Brasileira em sua nota.

Rossato não se refere diretamente ao julgamento do habeas corpus de Lula e diz ser importante que os militares da ativa ou da reserva integrantes das Forças Armadas "sigam fielmente à Constituição, sem nos empolgarmos a ponto de colocar nossas convicções pessoais acima daquelas das instituições".

"Seremos sempre um extremo recurso não apenas para a guarda da nossa soberania, como também para mantermos a paz entre irmãos que somos. Acima de tudo, o momento mostra que devemos nos manter unidos, atentos e focados em nossa missão", finaliza a nota do tenente-brigadeiro.

Leia também: Lula preso amanhã? Entenda o que pode ocorrer após julgamento de recurso no STF

General-comandante do Exército

Na noite dessa terça-feira (3), o general-comandante do Exército Brasileiro, Eduardo Villas Bôas usou sua conta no Twitter para manifestar seu "repúdio à impunidade" e defender o “respeito à Constituição, à paz social e à Democracia”.

"Asseguro à Nação que o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à Democracia, bem como se mantém atento às suas missões institucionais. Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?", escreveu Villas Bôas.

A manifestação foi interpretada como um gesto de intimidação aos ministros do Supremo Tribunal Federal que irão julgar o recurso de Lula. A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), disse que o partido também defende o "combate à impunidade e o respeito à Constituição". "O respeito à Constituição implica na garantia da presunção de inocência", escreveu a senadora.

Ao divulgar sua nota nesta quarta-feira, o comandante da Força Aérea Brasileira destacou que seu posicionamento representa um "esclarecimento do Comando da Aeronáutica diante das repercussões midiáticas sobre o contexto atual do País".

Leia também: Deputados que querem mudar de sigla devem aproveitar janela partidária até sexta

    Leia tudo sobre: Lula