Advogados de Lula fazem 'apelo' a Fachin contra prisão de ex-presidente

Recentemente incorporado à defesa de Lula, o advogado Sepúlveda Pertence reclamou da “velocidade porto-alegrense” da justiça no caso de Lula
Foto: Larissa Pereira/iG São Paulo
Manifestação contra condenação de Lula em São Paulo

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu nesta quinta-feira (8) com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin.

Leia também: Moro nega ação do MPF e diz que recibos de Lula "não são materialmente falsos"

No encontro, que durou cerca de 30 minutos, os advogados disseram ter feito um “apelo” ao juiz para que ele tome uma decisão sobre o habeas corpus preventivo apresentado ao tribunal na última semana.

Sepúlveda Pertence , incorporado recentemente à defesa do ex-presidente Lula, justificou o pedido argumentando que o Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF4) age com velocidade pouco usual.

“Nós fizemos o apelo dada a velocidade do tribunal de Porto Alegre. Está aberto o prazo para os embargos de declaração e, consequentemente, próximo à queda da suspensão da ordem de prisão”, explicou Sepúlveda.

De acordo com o entendimento mais recente do STF , condenados em 2ª instância, após esgotados os recursos, devem já cumprir a pena. Assim, o ex-presidente pode vir a ser preso nas próximas semanas. Para evitar que isso aconteça, a defesa ingressou com o habeas corpus preventivo no STF.

Novo advogado

Dias antes da reunião com Fachin, Sepúlveda, que já foi presidente do STF e tem relação próxima com alguns ministros, havia classificado como “perseguição” o processo contra o líder petista.

Leia também: TRF4 publica decisão de julgamento; Lula tem até 12 dias para recorrer

Ele comparou as acusações contra Lula à situação vivida por Getúlio Vargas em seus últimos meses como presidente. Acusado de crimes pela mídia e por adversários políticos, Vargas se suicidou no palácio do Catete, antiga sede do executivo brasileiro, em 24 de agosto de 1954.

Nomeado para o STF em 1989 pelo então presidente José Sarney (MDB), Sepúlveda Pertence presidiu a Corte entre 1996 e 1997 e deixou o tribunal dez anos mais tarde.

O ex-ministro se autointitula um "velho amigo" de Lula e vai atuar nos recursos do ex-presidente nas instâncias superiores. Sepúlveda defende também os senadores José Serra (PSDB) e José Sarney (MDB).

O advogado afirmou que adotará postura diferente da de outro advogado de Lula, Cristiano Martins, sem enfrentamentos ao Poder Judiciário. "Não faz o meu estilo", disse o novo defensor de Lula à  Folha  .

Leia também: "A palavra 'fugir' não existe na minha vida", diz Lula após recuperar passaporte

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-02-08/defesa-lula-reuniao-stf.html