Tamanho do texto

Ricardo Barros disputará para deputado federal e, para isso, deve deixar o governo até o dia 7 de abril; a data oficial da saída, porém, não foi informada. Com o anúncio de Barros, a Esplanada conta com a quarta baixa em um mês

Com a saída do ministro da Saúde, Ricardo Barros, o governo Temer conta com a quarta baixa dentro de um mês
Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde - 13.7.2017
Com a saída do ministro da Saúde, Ricardo Barros, o governo Temer conta com a quarta baixa dentro de um mês

O ministro da Saúde, Ricardo Barros , anunciou nesta quinta-feira (4) que irá deixar o cargo para se dedicar às eleições deste ano, em que deve concorrer a deputado federal. Barros, que participou de uma coletiva de imprensa hoje sobre a execução orçamentária do ministério em 2017, não especificou a data em que sairá a pasta, contudo, deve acontecer antes do dia 7 de abril – data-limite estabelecida na legislação para que possa pedir exoneração.

Leia também: Porto Alegre pede a Temer apoio do Exército no dia do julgamento de Lula

“Eu saio para disputar a eleição. Vou concorrer à reeleição de deputado federal. E fico no ministério até a data que o presidente me solicitar, desde que seja até 7 de abril, porque preciso descompatibilizar”, explicou o ministro da Saúde

O anúncio da saída de Barros marca a quarta baixa na Esplanada dos Ministérios do governo de Michel Temer em um período de um mês. O primeiro a deixar o cargo foi Antonio Imbassahy (PSDB), que atuava na Secretaria do Governo e foi substituído pelo deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS).

Na sequência, na última semana de 2017, quem abandonou o governo foi o então ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira . Quem irá ocupar o cargo é a deputada federal Cristiane Brasil (PTB), filha de Roberto Jefferson. A escolha por Cristiane foi anunciada pelo Planalto na quarta-feira (3), sendo oficializada no Diário Oficial da União desta quinta, o que gerou polêmica em torno de seu nome – e da ligação do presidente com Jefferson.

Isso porque, em 2015, duas investigações foram abertas contra a deputada, na intenção de investigar supostos crimes eleitorais na eleição de 2014. Nenhum dos casos encontrou qualquer prova contra a deputada e, por isso, ambos os inquéritos foram arquivados. 

Também na quarta, o Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviçoos, Marcos Pereira, informou que estava deixando o governo federal . Temer ainda não informou quem será o substituto de Pereira na pasta.

Carreira política

Ricardo Barros foi nomeada ministro da Saúde em maio de 2016, após Michel Temer assumir a presidência. Ele já foi eleito cinco vezes deputado federal pelo Partido Progressista (PP), em que é filiado pelo estado do Paraná. Barros também já foi prefeito de Maringá (PR), além de Secretário da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul do Paraná. 

 *Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.