Tamanho do texto

Presidente exaltou ano de "grandes desafios e conquistas importantes" e citou exemplo argentino ao fazer apelo por apoio à reforma da Previdência

Presidente Michel Temer gravou um vídeo com o pronunciamento de Natal nesta semana, em Brasília
Reprodução
Presidente Michel Temer gravou um vídeo com o pronunciamento de Natal nesta semana, em Brasília

O presidente da República, Michel Temer (PMDB), aproveitou seu pronunciamento de Natal em cadeia nacional de rádio e televisão para pressionar deputados a apoiarem a reforma da Previdência, principal meta de seu governo para o início de 2018. Gravado durante a semana, em Brasília, o vídeo foi divulgado às 20h30 deste domingo (24).

Leia também: PMDB oficializa troca de nome e diz que "cumpriu com seu dever" no impeachment

Assim como esperado, o presidente fez um balanço de 2017, classificado por ele como um ano de "grandes desafios e conquistas importantes". Michel Temer ignorou as duas denúncias enfrentadas por ele na Câmara dos Deputados e focou em exaltar os resultados de sua política econômica.

"Foi um ano de grandes desafios para todos nós, mas também de conquistas importantes e essenciais para o País que queremos ser e vamos ser. Não adotamos modelos populistas e nem escondemos a verdade", afirmou o presidente.

Ao fim do longo vídeo de cinco minutos de duração, Temer se dirigiu aos congressistas para cobrar apoio para o pacote de alterações nas regras da aposentadoria. O tema é abordado pelo presidente justamente no momento em que, estrategicamente, o discurso de Temer é embalado por uma trilha sonora radiante.

"Não é questão ideológica ou partidária. É uma questão do futuro do País e para garantir que os aposentados de hoje e de amanhã possam receber suas pensões. O nosso país vizinho num gesto consciente e de união pelo país, deu exemplo e acaba de aprovar sua reforma. Tenho plena convicção de que os nossos parlamentares darão seu voto e o seu aval para que isso também aconteça por aqui. Tenho certeza que eles  não faltarão, como não faltaram nunca, ao nosso País", apelou o presidente.

A votação da reforma da Previdência está agendada para ser realizada no dia 19 de fevereiro na Câmara dos Deputados. O projeto precisa dos votos de ao menos 305 deputados para ser aprovado e seguir para o Senado.

Confira o discurso de Temer:


Leia também: Temer é o líder mais impopular do mundo, mostra pesquisa

Aprovação do governo Temer

Neste mês, o peemedebista voltou a experimentar o gosto de ver sua aprovação subir após mais de um ano. A taxa de brasileiros que consideram seu governo bom ou ótimo passou de 3% em setembro para 6% em dezembro, segundo pesquisa divulgada na última quarta-feira (20) pelo Ibope.

O estudo realizado em conjunto com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI) aponta ainda que a rejeição ao presidente também teve uma ligeira queda, passando de 77% dos brasileiros para 74%. 

Leia também: Temer vê aprovação subir, mas ainda é rejeitado por 74% da população, diz Ibope

Apesar da melhora no índice, a insatisfação com o governo Michel Temer ainda é maior do que a verificada pelo CNI-Ibope em relação ao governo de Dilma Rousseff (PT) pouco antes de seu impeachment. Em março do ano passado, a parcela da população que considerava a gestão Dilma ruim ou péssima era de 69%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.