Tamanho do texto

Com aprovação de apenas 3% da população, presidente tem rejeição maior que Maduro, Trump e presidente acusado de corrupção na África do Sul

Michel Temer foi acusado em segunda denúncia de praticar crimes de obstrução à Justiça e organização criminosa
Lula Marques/Agência PT - 22.9.16
Michel Temer foi acusado em segunda denúncia de praticar crimes de obstrução à Justiça e organização criminosa

O brasileiro Michel Temer (PMDB) é considerado o presidente com maior taxa de rejeição em todo o mundo. Segundo pesquisa realizada pela consultoria de análise política Eurasia, o sucessor de Dilma Rousseff no Palácio do Planalto detém aprovação de apenas 3% da população brasileira – índice muito pior que o do venezuelano Nicolás Maduro, por exemplo.

Leia também: Temer alinha ideias com Maia e mira reforma da Previdência após barrar denúncia

A popularidade do presidente Michel Temer também está bem abaixo da do presidente da África do Sul, Jacob Zuma, que enfrenta denúncias de corrupção e, ainda assim, possui apoio de 18% dos cidadãos de seu país. Já Maduro, que trava um confronto político interno com a oposição e viu nos últimos meses a Venezuela ser alvo de críticas e sanções em fóruns internacionais devido à censura e prisão de seus adversários, ainda conta com apoio de 23% de seus conterrâneos.

Além de Temer, a lista dos líderes mais impopulares conta ainda com o mexicano Enrique Penã Nieto, com 28% de aprovação, e da premiê britânica, Theresa May, que possui 31% e conduz o polêmico processo de saída do Reino Unido da União Europeia (chamado de Brexit).

O levantamento da consultoria Eurasia, que foi elaborado com dados coletados a partir do mês de agosto, mostra ainda o controverso presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com 37% de apoio popular. Já o recém-eleito presidente da França, Emmanuel Macron, tem 45% de aprovação. O centrista, apesar de recém-eleito para lidera o país europeu , tem gerado reações internas por seus projetos de reformas.

Denúncias ferem imagem de Temer

A má-situação de Temer mediante à opinião pública se deve, em muito, às acusações e denúncias oferecidas contra o presidente da República.

O peemedebista já foi denunciado duas vezes pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Na primeira delas, Temer era acusado de cometer crime de corrupção passiva. A acusação foi embasada nas delações e gravações entregues pelo empresário Joesley Batista e nas filmagens que mostram o ex-assessor da Presidência Rodrigo Rocha Loures recebendo mala com R$ 500 mil de executivos da JBS.

Na segunda denúncia, rejeitada na noite dessa quarta-feira (25) pelo plenário da Câmara dos Deputados , o presidente Michel Temer era acusado de cometer crimes de organização criminosa, devido à sua atuação junto ao chamado "quadrilhão do PMDB na Câmara", e de obstrução à Justiça, por seu suposto aval ao plano de Joesley Batista para impedir a delação do lobista Lúcio Funaro.

Leia também: Juiz nega pedido de Cunha e passa a ouvir hoje investigados por desvios na Caixa

*Com informações da Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.