undefined
Edilson Rodrigues/Agência Senado - 25.8.16
Celulares encontrados no apartamento de Ipanema de Aécio Neves estão registrados em nome de agricultor e montador de andaimes

Um relatório da Polícia Federal (PF) divulgado nesta quarta-feira (29) aponta que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) teria utilizado celulares ‘descartáveis’ com linhas telefônicas registradas em nome de laranjas para fazer ligações sigilosas. A conclusão acontece depois da análise de objetos e documentos apreendidos no dia 18 de maio no apartamento do Rio de Janeiro do tucano. As informações são da Globo News.

Leia também: Aécio Neves é denunciado ao STF por corrupção e tentativa de barrar Lava Jato

Segundo a perícia da Polícia Federal, aparelhos celulares “simples” foram encontrados pelos oficiais na sala de TV e no closet do apartamento de Aécio Neves , localizado no bairro de Ipanema. Ainda de acordo com o documento divulgado hoje, um celular Nokia e outro LG foram recolhidos em maio, durante operação da PF com mandados de apreensão em vários endereços ligados ao parlamentar (no Rio, em Brasília e em Minas Gerais).  

Para descobrir a identidade dos proprietários das duas linhas móveis, os policiais tiveram que solicitar dados às operadoras TIM e Vivo que, por sua vez, informaram que os aparelhos estavam em nome de “Laércio de Oliveira”, que é um agricultor no cultivo de café no interior de Minas Gerais, e “Mitil Ilchaer Silva Durao”, montador de andaimes do Espírito Santo.

Leia também: Primo de Aécio devolve R$ 1,5 milhão recebido do grupo JBS

Com isso, a perícia aponta que a habilitação das linhas pode ter acontecido sem o consentimento dos proprietários, uma vez que se tratam de pessoas simples, que “em tese não pertencem ao convívio social”.

Além dessas duas linhas telefônias, a PF descobriu que um dos aparelhos já havia sido registrado em nome de pessoas ligadas profissionalmente  à irmã do senador, a jornalista Andréa Neves.

Leia também: Veja trechos da conversa entre Aécio Neves e Joesley Batista

Os mandados de apreensão que capturaram os celulares apontados hoje pela Polícia Federal foram expedidos pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato na Corte, com base na delação premiada do empresário da JBS, Joesley Batista. Além dos aparelhos telefônicos, os policiais apreenderam 16 obras de arte pertencentes a Aécio Neves. 

    Veja Também

      Mostrar mais