undefined
Fotos Públicas
A deputada Shéridan (RR) votou a favor do impeachment de Dilma Rousseff, mas faz oposição a Michel Temer

A Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, encaminhou nesta terça-feira (7) ao Supremo Tribunal Federal (STF) denúncia contra a deputada federal Shéridan de Anchieta (PSDB-RR). A parlamentar é acusada de comprar votos para seu ex-marido, o ex-governador de Roraima, José Anchieta Júnior, quando ele tentou a reeleição em 2010.

Leia também: Tribunal amplia pena de João Vaccari e mantém sentença de Santana e Mônica Moura

Conforme a denúncia, Shéridan , como primeira-dama do estado e secretária de Promoção Humana e Desenvolvimento, teria oferecido vantagens a moradores de um bairro de Boa Vista, para que eles votassem em José Anchieta. Os próprios eleitores apontaram que a parlamentar teria oferecido inscrição em programa social do governo, pagamento de multas de trânsito, entre outros benefícios.

Shéridan é conhecida pela forte oposição que faz ao presidente Michel Temer , mesmo sendo do PSDB, partido que por enquanto não abandonou a base do governo. Como ela mesma anuncia em seu perfil do Instagram, foi a deputada federal de Roraima mais bem votada de 2014, com mais de 35 mil votos.

O STF pode aceitar ou não dar continuidade ao processo contra ela.

Veja também: Moro marca para fevereiro audiência de Lula no caso sobre o sítio de Atibaia

Deputado Izalci

undefined
George Gianni/PSDB - divulgação
Izalci é acusado de usar doações da Receita Federal, que incluem brinquedos e computadores, para fins particulares

A Procuradora-Geral também reiterou na semana passada a denúncia que fez contra o deputado federal Izalci Lucas , em setembro deste ano, por peculato. Ele é acusado, enquanto era Secretário de Ciência e Tecnologia do Distrito Federal, de desviar bens doados pela Receita Federal e pelo Tribunal de Contas da União para a pasta.

Segundo a denúncia, Izalci teria solicitado à Receita Federal a doação de bens apreendidos, como material escolar, equipamentos eletrônicos, brinquedos e vestuários, dizendo que seriam utilizados em ações institucionais do programa DF Digital, comandado pela Secretaria.

No entanto, parte das doações foi encaminhada para guarda na Fundação Gonçalves Lêdo (FGL) e dos R$ 245,2 mil em objetos doados, apenas o equivalente a R$ 28,4 mil foi efetivamente incorporado ao patrimônio da SECT.

Além disso, a denúncia aponta que 20 computadores doados pelo Tribunal de Contas para a Secretaria foram instalados em sala comercial onde funcionava o comitê de campanha eleitoral do parlamentar. “A conduta do denunciado, em verdade, infligiu prejuízo de grande monta ao patrimônio do ente federativo”, conclui a PGR.

O STF não se pronunciou ainda sobre a denúncia contra o deputado.

Veja também: Defesa pede fim do bloqueio de bens do ex-presidente Lula

A reportagem do iG não obteve respostas dos deputados Shéridan ou Izalci até o fechamento desta matéria.

    Veja Também

      Mostrar mais