Tamanho do texto

Após mídia repercutir a fala, ex-presidente publicou trecho da entrevista para provar que frase publicada pelo "El Mundo" dava interpretação errada

Lula comparou a baixa popularidade de Dilma em 2015 com a do ex-presidente Fernando Henrique em 1999
Reprodução/Youtube
Lula comparou a baixa popularidade de Dilma em 2015 com a do ex-presidente Fernando Henrique em 1999

O jornal espanhol “El Mundo” alterou nesta segunda-feira (23) uma das frases da entrevista com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, publicada no último domingo (22), após o petista afirmar em suas redes sociais que não deu a declaração que foi reproduzida pela mídia brasileira.

Na entrevista publicada no site do "El Mundo", constava que Lula teria dito que a ex-presidente Dilma Rousseff  “traiu seu eleitorado” ao anunciar um ajuste fiscal , em 2014, e ao realizar cortes nos gastos.

Segundo o "El Mundo", o ex-presidente disse: "O segundo erro veio quando a presidente anunciou o ajuste fiscal e traiu o eleitorado que a havia eleito em 2014, ao qual havíamos prometido que manteríamos os gastos".

À tarde, após a repercussão da entrevista e a reclamação do ex-presidente, o "El Mundo" alterou a frase do petista em seu site. Na nova versão o texto aparece a seguinte formulação: "O segundo erro veio quando a presidente anunciou o ajuste fiscal, e o eleitorado que a havia eleito em 2014, ao qual havíamos prometido que manteríamos os gastos, se sentiu traído."


Em declaração à Folha de S.Paulo , a jornalista Agnese Marra, que entrevistou o ex-presidente para o jornal espanhol, afirmou "que houve um erro na edição e o jornal `El Mundo' já fez a correção".

Entrevista

Em outros trechos da matéria com o ex-presidente, o petista considerou que houve um exagero nas políticas de exoneração de impostos para grandes empresas e que isso foi o “maior equívoco” do governo petista. “Quando Dilma tentou acabar com essa ajuda, o Senado não permitiu”, afirmou o ex-presidente.

Leia também: Após caravana pelo Nordeste, ex-presidente deve percorrer ao menos 14 cidades mineiras

O petista ainda comparou a baixa popularidade de Dilma em 2015 com a do ex-presidente Fernando Henrique, em 1999. Para ele, a diferença entre as duas situações é que, na época de FHC, o então presidente da Câmara Michel Temer o ajudou a governar. Já no caso da petista, “tínhamos Eduardo Cunha que se encarregou de rechaçar cada reforma que Dilma propunha. Foi [Cunha] quem levou adiante um impeachment ilegítimo. Tínhamos um inimigo na Casa”.  

Em outro trecho da entrevista, o jornal espanhol pergunta se o ex-presidente se arrependeu de não ter se candidatado no lugar de Dilma, em 2014. De acordo com o petista, ele pensou muitas vezes em fazer isso, no entanto, ela "tinha direito de ser reeleita".

Eleições 2018

O ex-presidente, ao comentar sobre sua futura candidatura à Presidência e quais seriam as formas para recuperar o País, afirmou que o “Brasil tem que voltar a ser governado pensando na maioria”. O petista disse ainda que irá fazer um referendo para revogar as medidas aprovadas por Michel Temer, como a PEC dos gastos públicos. “É um crime ter uma lei que limita durante 20 anos a possibilidade de investimento do Estado”, defendeu. 

Leia também: Datafolha: Eleitorado evangélico dá força a Bolsonaro e Marina, mas prefere petista

 “No Brasil faltam coisas básicas como saneamento, tratamento de água. Moradias. Temos um potencial de investimento em infraestrutura que pode resolver boa parte da geração de empregos e recuperar a economia”, explicou Lula ao jornal espanhol.

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.