Tamanho do texto

Ainda segundo o parlamentar, o quórum mínimo de 342 deputados presentes em plenário deve ser atendido e que, portanto, o rito ocorrerá normalmente

'Votação gera tranquilidade para a sociedade', afirmou o presidente da Câmara Rodrigo Maia
Lula Marques/Agência PT - 14.9.2016
'Votação gera tranquilidade para a sociedade', afirmou o presidente da Câmara Rodrigo Maia

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou, nesta terça-feira (01), que a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer deve ser resolvida até a tarde desta quarta-feira (02). 

Leia também: Congresso retoma trabalhos hoje e inicia rito para votar denúncia contra Temer

“Acho que amanhã será votado e, com a votação, isso gera uma tranquilidade para a sociedade de que esse assunto estará resolvido na parte da tarde de amanhã”, disse o Rodrigo Maia a jornalistas.

Ainda segundo o parlamentar, o quórum mínimo de 342 deputados presentes em plenário deve ser atendido e que, portanto, o rito ocorra normalmente. "Vai dar quórum, acho que a gente vai votar, é nossa obrigação, a gente não pode ter um presidente denunciado e o Parlamento não deliberar sobre isso. Independente da posição de cada um, é importante que a Câmara delibere sobre o tema”, declarou.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou Temer com base em gravações e na delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F – que controla o frigorífico JBS e outras empresas. A defesa diz que não a denúncia contra Michel Temer não apresenta provas do envolvimento do presidente da República e baseia em suposições.

Trabalhos no Congresso

Após duas semanas de recesso , o Congresso Nacional retomou os trabalhos nesta terça, com todas as atenções voltadas para o plenário da Câmara dos Deputados, que deve votar a admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer ainda amanhã.

Leia também: Oito em cada dez brasileiros apoiam admissão da denúncia contra Temer, diz Ibope

O rito para decidir se Temer se tornará réu ou não em julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) será iniciado às 14h de hoje, com a leitura do parecer aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. O texto, elaborado pelo deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), recomenda a rejeição da denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República.

Na semana passada, o presidente da Câmara fez apelos para que haja quórum para votar a admissibilidade da denúncia da PGR amanhã. "A gente não pode é deixar o paciente em centro cirúrgico, com a barriga aberta", disse na última sexta-feira (28).

Leia também: Fim do recesso parlamentar dá início a semana decisiva para governo Temer

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), reuniram-se na manhã de hoje para definir a pauta do Congresso neste semestre, após a retomada dos trabalhos legislativos. Segundo Maia, projetos de interesse econômico e que tratam da segurança pública terão prioridade na tramitação.  

*As informações são da Agência Brasil

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.