Tamanho do texto

Protestos foram organizados por movimentos sociais e centrais sindicais; participantes também reivindicam a saída de Michel Temer do governo

Manifestantes protestaram em São Paulo contra a condenação de Lula e pediram a saída do presidente Michel Temer
Ricardo Stuckert
Manifestantes protestaram em São Paulo contra a condenação de Lula e pediram a saída do presidente Michel Temer

Manifestantes ligados a movimentos sociais e sindicatos fizeram um protesto nesta quinta-feira (20) em frente ao Masp (Museu de Arte de São Paulo), na Avenida Paulista, em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e contra as reformas trabalhista e da Previdência. Atos semelhantes ocorreram em outras capitais, como no Rio de Janeiro, Salvador e Recife.

Leia também: PGR autoriza criação de força-tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo

No ato, os manifestantes pediram também a saída do presidente Michel Temer (PMDB) e a realização de eleições diretas. Participaram políticos do PT e integrantes do partido e de movimentos sociais, como o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto  e o MST (Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), e de centrais sindicais.

O ato foi convocado pela Frente Brasil Popular e ocupou os dois sentidos da via no quarteirão do museu, de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). O protesto ocorre após Lula ter sido condenado a nove anos e meio de prisão por corrupção no caso do tríplex no Guarujá e do bloqueio e confisco de dinheiro e bens do ex-presidente por determinação do juiz federal Sérgio Moro .

Ainda nesta quinta-feira, Moro determinou o bloqueio de R$ 9 milhões  em planos de aposentadoria privada em nome do ex-presidente. A ação do magistrado, que é responsável pelas ações penais da Operação Lava Jato em primeira instância, foi feita após pedido do MPF (Ministério Público Federal).

A defesa de Lula pediu ao TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) a suspensão imediata do sequestro e o arresto de bens e valores. Os advogados afirmam que a decisão é ilegal e abusiva.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, os militantes se concentraram na Cinelândia, em frente à Câmara Municipal, na região central da capital. Foi feita uma homenagem ao ex-assessor para Assuntos Internacionais dos governos Lula e Dilma, Marco Aurélio Garcia, morto hoje vítima de um infarto .

Representantes do PT e de outros partidos de esquerda discursaram na calçada, em meio a militantes carregando bandeiras dos partidos, em um ato sem palanque, tendo como apoio somente um carro de som. A Polícia Militar reforçou a segurança no local. O protesto transcorreu sem incidentes entre manifestantes e policiais.


* Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Lula

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.