Tamanho do texto

Antes da decisão do ministro Edson Fachin, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, havia defendido a continuidade da investigação contra Temer

Ministro do STF, Edson Fachin aceitou pedido feito pela defesa do presidente Michel Temer
Carlos Humberto/SCO/STF
Ministro do STF, Edson Fachin aceitou pedido feito pela defesa do presidente Michel Temer

Edson Fachin, ministro do Supremo Trinunal Federal (STF), decidiu neste sábado (20) enviar para perícia da Polícia Federal (PF) o áudio no qual o empresário Joesley Batista, dono da empresa JBS, gravou uma conversa com o presidente Michel Temer. A perícia foi solicitada pela defesa do presidente.

Leia também: Michel Temer reúne base aliada para retomar votações no Congresso

Ainda nesta decisão, Fachin resolveu remeter para julgamento pelo plenário da Corte, na próxima quarta-feira (24), o pedido feito pela defesa do presidente Temer para suspender as investigacões até que a finalização da perícia.

Leia também: Sindilegis alerta para calote de R$ 400 bilhões na Previdência

Antes da decisão do ministro, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, defendeu a continuidade da investigação e disse que não contém qualquer "mácula que comprometa a essência do diálogo", mas informou não se opõe ao pedido de perícia feito pelo presidente.

Leia também: PSB anuncia rompimento com base aliada do governo

Em novo pronunciamento à nação feito mais cedo, Temer anunciou um recurso ao Supremo,  questionou a legalidade da gravação e disse que há muitas contradições no depoimento de Joesley Batista, como a informação de que o presidente teria dado aval para comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, que está preso em Curitiba.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.