Ex-governador do Rio, Sérgio Cabral foi preso na Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato, em novembro de 2016
Fabio Rodrigues Pozzebo/Agência Brasil
Ex-governador do Rio, Sérgio Cabral foi preso na Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato, em novembro de 2016

O Ministério Público (MP) Estadual do Rio de Janeiro anunciou nesta segunda-feira (27) que vai investigar supostas irregularidades em visitas recebidas pelo ex-governador fluminense Sérgio Cabral, no Presídio Bangu 8, no complexo penitenciário de Gericinó.

Leia também: Eike Batista, Sérgio Cabral e mais dez são indiciados pela PF

Sérgio Cabral está preso desde 17 de novembro do ano passado, no Rio de Janeiro. O ex-governador foi preso no âmbito da Operação Calicute, que investigou o desvio de recursos públicos federais em obras realizadas pelo governo do estado do Rio.

Segundo as investigações, o ex-governador chefiava um esquema de corrupção que cobrou propina de construtoras, lavou dinheiro e fraudou licitações em grandes obras no estado realizadas com recursos federais.

De acordo com o MP, o ex-governador teria recebido visitas de parlamentares fora do horário permitido para visitantes.

O MP informou ainda que um promotor da área de Tutela Coletiva do órgão vai analisar os relatórios da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária com as informações sobre as visitas recebidas pelo ex-governador e verificar se houve irregularidades.

Você viu?

Leia também: Ministra do STJ autoriza mulher de Cabral a cumprir prisão em casa

Caso isso seja confirmado, será instaurado um inquérito civil para apurar responsabilidades de deputados estaduais e agentes penitenciários. Se houver necessidade de investigar deputados federais, o caso será encaminhado ao Ministério Público Federal.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa do filho do ex-governador, o deputado Marco Antônio Cabral (PMDF-RJ) informou que todas as visitas feitas ao pai “foram feitas legalmente e dentro das normas previstas”.

Libertação de Adriana Ancelmo

Ainda nesta segunda-feira, a mulher de Cabral, Adriana Ancelmo, será beneficiada por um habeas corpus que permitirá que ela – que está presa desde dezembro do ano passado – cumpra o resto de sua pena em prisão domiciliar. Adriana recebeu o benefício após alegar que tem dois filhos pequenos que precisam dos cuidados da mãe , já que o pai também está detido. 

A esposa de Sérgio Cabral também está presa no Complexo Prisional de Bangu, acusada de envolvimento em crimes de corrupção praticados pelo seu marido e outras pessoas, inclusive com a utilização de seu escritório de advocacia para receber altas quantias de propina.

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários