Tamanho do texto

Ex-presidente do STF, Carlos Velloso se reuniu com Temer nesta quarta-feira por mais de 1h, a portas fechadas. Nome é um dos mais cogitados ao cargo

Temer se reuniu nesta terça-feira (14) com o ex-presidente do STF Carlos Velloso, cotado para ser ministro da Justiça
Antonio Cruz/Agência Brasil - 14.2.2017
Temer se reuniu nesta terça-feira (14) com o ex-presidente do STF Carlos Velloso, cotado para ser ministro da Justiça

O presidente Michel Temer disse em sua conta do Twitter, nesta quarta-feira (15), que a escolha pelo futuro ministro da Justiça será realizada de maneira “apartidária e pessoal”. A afirmação acontece um dia depois de uma reunião privada com o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Velloso, um dos nomes cotados para ocupar o cargo.

LEIA MAIS: Gestão Temer quer aprovar reformas trabalhista e da Previdência até julho

Na mensagem, Temer confirma que teve uma reunião privada, de mais de uma hora de duração, com o ex-ministro do STF. Ainda acrescentando que deverá se encontrar com Velloso nos próximos dias. ““Estive com [o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal] Carlos Velloso ontem [no Palácio do Planalto]. Conversamos privadamente por mais de 1h. Meu amigo há mais de 35 anos. Marcamos esse encontro diretamente”, escreveu.

Depois disso, o presidente ressaltou que a nomeação do futuro ministro da Justiça será realizada por ele, pessoalmente. “A escolha do novo ministro da Justiça será minha, pessoal, sem conotações partidárias”, acrescentou.  



LEIA MAIS: Comissão da Câmara aprova PEC da Reforma da Previdência

O encontro entre as duas autoridades foi confirmado nesta quarta-feira (14) pelo porta-voz da Presidência, Alexandre Parola, em meio às consultas que estão sendo realizadas para a nomeação de alguém para ocupar a vaga deixada por Alexandre de Moraes, afastado do ministério depois de ter sido indicado para o Supremo Tribunal Federal. Moraes ainda passará por sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, no próximo dia 21.

Carlos Velloso tem 81 anos e é um dos nomes mais cogitados para assumir o cargo. Ele é um jurista bastante renomado no País, e amigo de confiança do presidente. Caso seja realmente apontado para o ministério da Justiça, marcará o fim de décadas desde que o estado de Minas Gerais ocupou um cargo de primeiro escalão no governo.

LEIA MAIS: PF prende mais de 20 por suspeita de desvio na Universidade Federal do Paraná

Anteriormente, Michel Temer havia afirmado que a indicação para o substituto de Moraes não teria prazo para ocorrer. Porém, o Palácio do Planalto sinaliza que a definição poderá ser agilizada por causa das manifestações de policiais militares nos estados do Espírito Santo e no Rio de Janeiro que refletiram graves ondas de violência.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.