Acusado de estuprar modelo norte-americana, Thiago Brennand será julgado nesta terça-feira
redacao@odia.com.br (IG)
Acusado de estuprar modelo norte-americana, Thiago Brennand será julgado nesta terça-feira

Uma das mulheres que acusam Thiago Brennand de estupro gravou uma conversa em que o empresário assume ter forçado a relação sexual.  O áudio foi gravado em setembro de 2021 e mostrado pelo portal Uol nesta segunda-feira (4). 

A vítima é uma produtora pernambucana radicada nos Estados Unidos e conheceu Brennand pelo Instagram no fim de julho de 2021. Em agosto daquele ano, ela viajou a São Paulo, com passagens compradas pelo empresário, para encontrá-lo pessoalmente pela primeira vez.

Eles ficaram na mansão dele em Porto Feliz (SP). Depois, ela viajou ao Recife, onde passou a gravar as conversas telefônicas com Brennand e onde em uma delas, ele admite o crime. 

Na conversa, Brennand dá detalhes de como forçou a vítima a fazer sexo anal, além relatar ter batido na mulher. Tudo aconteceu durante o período em que ela ficou em Porto Feliz (SP).

Trechos das conversas gravadas

Nas gravações, Brennand admite que a agrediu e afirma que usou a força para fazer sexo anal com ela, enquanto ela dizia "não". Ele dá a entender que, como não a ameaçou com uma arma, ela teria consentido.

Brennand: —  Na hora que você disse "não", eu te ameacei e disse que ia te quebrar?

Vítima:  — Não.

Brennand:  — Outra coisa, por exemplo, eu botei uma arma na sua cabeça?

Vítima:  — Não.

Brennand:  — Pois é, mas eu fiz à força e com raiva, não fiz?

Vítima:  — Fez.

Brennand:  — E você dizendo "não, não", eu fiz com raiva. Beleza. Tá certo. Eu assumo.

Segundo o artigo 213 do Código Penal, estupro é "constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso".

O que diz a defesa do empresário

Em nota, os responsáveis pela defesa de Thiago Brennand critica o vazamento dos áudios que, segundo eles, acontece com o objetivo de prejudicar o empresário e interferir no processo judicial. 

"A defesa de Thiago lamenta mais uma vez o vazamento de provas de modo seletivo e descontextualizado. Tudo com o claro objetivo de prejudicar a sua defesa e influenciar os processos e medidas em curso. A reportagem retira a conversa de contexto e omite fatos relevantes, tais como as relações havidas após o referido diálogo, o que confirma que a relação foi consensual. Além disso, as mensagens são antigas e foram analisadas pelo Ministério Público, que pugnou pelo arquivamento do caso, tendo o juiz de Porto Feliz concordado e ainda determinado a apuração da ocorrência do crime de denunciação caluniosa por parte da suposta vítima."

Estupro, agressão e cárcere privado

Thiago Brennand  foi acusado de vários crimes, como estupro, agressão, cárcere privado e corrupção de menores. Acabou preso em abril deste ano, nos Emirados Árabes Unidos, após ficar foragido por sete meses. Extraditado para o Brasil e detido em São Paulo , o empresário já foi condenado por uma agressão e por outro estupro. Ele aguarda sentença sobre a acusação da produtora pernambucana.

Em outubro, o empresário foi condenado pela 2ª Vara de Porto Feliz (SP) a cumprir pena de 10 anos e seis meses de prisão pelo crime de estupro a uma modelo americana  e após essa condenação, foi levado ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de Pinheiros, em São Paulo, onde segue até o momento. 

Ele também foi condenado, em novembro, a um ano e oito meses de prisão, em regime semiaberto, por ter agredido uma mulher em uma academia de luxo da capital paulista. O caso ocorreu em agosto do ano passado. O Tribunal de Justiça de São Paulo também o condenou a pagar uma indenização civil à vítima no valor de R$ 50 mil.

    Mais Recentes

      Comentários

      Clique aqui e deixe seu comentário!