Eliane Medeiros auxiliou fuga da mulher de Glaidson
Reprodução
Eliane Medeiros auxiliou fuga da mulher de Glaidson

A empresária Eliane Medeiros de Lima vai responder criminalmente por supostamente ajudar a venezuelana Mirelis Zerpa, mulher de Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó dos Bitcoins", a ocultar das autoridades parte dos R$ 1 bilhão sacados ilegalmente, em agosto do ano passado, após a Operação Kriptos. Em denúncia oferecida à Justiça pelo Ministério Público Federal (MPF), Eliane e Mirelis foram acusadas de ocultar a origem e a localização de bens oriundos da prática de crimes.

Na mesma denúncia, o MPF também imputa às duas mulheres, ao lado Glaidson e Handerson Gomes Pinto, outro integrante do grupo, os crimes de operação sem autorização legal de instituição financeira e de formação de organização criminosa.

Mirelis evitou a prisão por viajar para os EUA dias antes da operação, deflagrada no dia 24 de agosto do ano passado. Com a ajuda de senhas desconhecidas pelos investigadores, ela conseguiu sacar, entre 24 de agosto e 15 de setembro, 4.330 unidades de criptomoedas. Em valores da época, correspondiam a R$ 1 bilhão.

As investigações, que avançaram após a quebra do sigilo das empresas do Grupo Gas Consultoria Bitcoins, do casal Glaidson e Mirelis, comprovou que a venezuelana transferiu R$ 200 mil destas criptomoedas para Eliane, que liquidou as unidades no mercado e recebeu o valor correspondente em reais nas contas da empresas GLA Serviços.

Leia Também

Os quatro denunciados foram alvos, na segunda-feira, da operação Betka, a quarta fase da operação Kryptos. Eliane, que chegou a ser presa em fevereiro, na terceira fase da Kriptos, também foi responsabilizada por abrir uma empresa no Uruguai, a CointradeCx, para ajudar o Faraó e a sua esposa no esquema de lavagem de dinheiro.

Esta foi a segunda denúncia oferecida pelo MPF contra Eliane. Na primeira, logo após a prisão, a CointradeCx, que opera no Brasil desde 2019, teria movimentado irregularmente R$ 324 milhões em operações do casal Glaidson e Mirelis. A empresária também foi acusada de lavar dinheiro do traficante Luiz Carlos da Rocha, também conhecido como Cabeça Branca, um dos maiores da Região Centro Oeste.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Drop here!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários