é do Lago, Márcia e Joene viviam na Cachoeira do Mucura e os corpos foram encontrados por um dos filhos do casal.
Reprodução
é do Lago, Márcia e Joene viviam na Cachoeira do Mucura e os corpos foram encontrados por um dos filhos do casal.

Neste domingo, (9), uma família de ambientalistas que atuava na área rural de São Félix do Xingu, no Pará, foi encontrada morta. Zé do Lago, Márcia e Joene viviam na região da Cachoeira do Mucura.

Os corpos, que foram encontrados por um dos filhos do casal, tinham marcas de tiros. A polícia, que investiga o caso, estima que as mortes tenham ocorrido há pelo menos quatro dias, por conta do estado de decomposição dos corpos.

A filha Joene e Zé do Lago estavam próximos à residência, já a mãe, Márcia, estava boiando nas margens do rio Xingu.

A Polícia Civil de São Félix do Xingu também informou que cápsulas de balas foram encontradas no local e que o setor de perícia está atuando na residência desde a denúncia das mortes.

Pai, mãe e filha eram conhecidos por fazer a soltura de quelônios no rio e as suspeitas dos investigadores é de que eles foram assassinados por pistoleiros. Até o momento, porém, ninguém foi preso pelos crimes.

Um relatório publicado no ano passado pela ONG Global Witness mostrou que, em 2020, o Brasil foi o quarto país do mundo no número de assassinatos de ativistas ambientais. Foram 20 execuções naquele ano.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários