O caso foi registrado na DHBF e agentes da especializada foram ao local realizar perícia técnica
Reprodução / Freepik / Imagem ilustrativa
O caso foi registrado na DHBF e agentes da especializada foram ao local realizar perícia técnica

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) apura se o espaço ocupado por um carro estacionado foi o motivo da discussão que deixou dois homens mortos na madrugada deste domingo (3), num bar em Austin, Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro . Rafael Vinicius de Oliveira Mello, cabo da Polícia Militar de 39 anos, e Pedro Cabral Ferreira sacaram as armas e atiraram durante a briga. Pedro morreu ainda no local. O militar chegou a ser levado para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), mas não resistiu.

Rafael Vinicius Mello estava em um bar, junto com seu irmão. Uma das hipóteses investigadas pela DHBF é a de que a briga teria começado porque um dos homens queria passar, e havia um veículo estacionado. Durante a discussão, Rafael e Pedro sacaram armas de fogo, apontaram para o outro e acabaram atirando.

O militar, que era lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), chegou a ser socorrido pelo irmão para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Austin, mas, segundo a corporação, não resistiu aos ferimentos. Ferreira morreu ainda no bar.

Agentes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foram até o local para realizar perícia técnica e o caso foi registrado na especializada. A arma do cabo foi apreendida pelos policiais e a arma de Ferreira não foi encontrada no bar, segundo a PM.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários