Moradores do Jacarezinho denúnciam cenas de abuso policial. Registros fotográficos mostram rastros de sangue na casa de moradores
Reprodução/TV Globo
Moradores do Jacarezinho denúnciam cenas de abuso policial. Registros fotográficos mostram rastros de sangue na casa de moradores

A Polícia Civil do Rio de Janeiro determinou sigilo de cinco anos para todos os documentos da corporação relacionados à  operação na Favela do Jacarezinho enviados ao Ministério Público no dia 6 de maio. A operação é considerada a mais letal já realizada pela polícia no estado, com resultado de 28 mortos, incluindo um agente policial.

A informação sobre o sigilo foi dada pela própria polícia civil ao portal G1, após ter a documentação solicitada. De acordo com o site, a corporação enviou um ofício informando que a documentação possui "informações de caráter sigiloso, inerentes a planos e operações estratégicas de Segurança Pública a cargo da Sepol [Secretaria de Polícia Civil]". O ofício também afirma que a divulgação dos documentos "pode comprometer e por em risco outras atividades de investigação".

Ainda segundo o G1, o documento é assinado pelo subsecretário de Planejamento e Integração Operacional da Polícia Civil, Rodrigo Oliveira. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários