O segundo segurança que acompanhava o bicheiro Alcebíades Paes, o Bidi, assassinado ao retornar da Marquês de Sapucaí, presta depoimento na Delegacia de Homicídios da capital, na Barra da Tijuca, na tarde desta sexta-feira. Ele foi intimado a prestar esclarecimentos sobre a morte do contraventor, principalmente o motivo pelo qual não houve reação ao ataque de criminosos contra a van onde estava Bidi. Nessa quinta-feira, um dos guarda-costas que acompanhavam o bicheiro foi ouvido na DH.

Leia também: Três adolescentes são presos por tentar roubar cadela de delegado

O homem, identificado apenas como Thiago, é ex-policial militar e foi expulso da corporação. Os dois seguranças estavam em um carro atrás da van onde estava Bidi, a namorada e alguns amigos.

irmão morto de bicheiro
Agência O Globo
Seguranças não reagiram ao ataque que matou o irmão do bicheiro Maninho no Rio


Leia também: Feliciano defende Bolsonaro e diz que estão armando “narrativa golpista”

Mais de 20 tiros foram disparados contra Bidi. Ele foi atingido por 22 disparos. Nenhuma das seis pessoas que acompanhavam o bicheiro foi ferida. Quatro homens encapuzados esperavam a chegada da vítima num carro, estacionado no sentido oposto ao da van. Quando a van parou na frente do condomínio da namorada de Bidi, na Barra da Tijuca, os homens saltaram do carro e começaram a disparar contra o bicheiro.

    Veja Também

      Mostrar mais