duas mulheres sorrindo
Redes sociais
Carina e Flávia foram presas temporariamente pela polícia

Suspeitas de envolvimento no assassinato da família em São Bernando do Campo (SP), no último dia 28, Ana Flávia Gonçalves e Carina Ramos estão prestando um novo depoimento sobre o caso nesta quarta-feira. No começo da tarde, as duas foram transferidas do 7º DP para o Centro de Operações Integradas de Segurança da cidade. Este é o quarto depoimento da dupla sobre o assassinato de Flaviana Gonçalves, 40, seu marido Romuyuki, 43 e o filho Juan, 15.

A filha e a nora do casal já foram ouvidas três vezes pela polícia sobre o crime. No primeiro depoimento, em 29 de janeiro, atribuíram a morte da família a uma possível ligação do pai, Romuyuki, com agiotas. Ouvidas pela segunda vez em 31 de janeiro, mudaram a versão e afirmaram que foram rendidas em um assalto à casa da família na noite do crime. No terceiro depoimento, na segunda-feira, as suspeitas ficaram em silêncio sobre o ocorrido.

Leia também: Polícia prende mais dois suspeitos de matar família no ABC

Os corpos da família foram encontrados em carro incendiado na Estrada do Montanhão, em São Bernardo do Campo, região do ABC paulista, na madrugada do dia 28. Laudo da polícia indicou que a família foi morta com golpes na cabeça antes de ser queimada dentro do carro. Investigações iniciais apontam ainda que Carina teria sido a mentora intelectual do crime, motivada pelo interesse em cerca de R$ 85 mil que a família supostamente teria em um cofre na residência onde o roubo teria sido simulado. Segundo o advogado de Ana Flávia, a jovem diz ser inocente e apenas chora desde o dia do crime. Para a polícia, o crime "está 99% resolvido".

O juiz Fernando Martinho de Barros Penteado, da Vara do Júri de São Bernardo do Campo, decretou a prisão temporária de Juliano de Oliveira Santos Júnior, por 30 dias, nesta segunda-feira. A polícia suspeita que Juliano, primo de Carina, tenha participado da execução da família. Segundo o depoimento de Juliano, Ana Flávia e Carina pediram para que ele e outros dois homens matassem as três pessoas depois que verificaram não ter nada no cofre da casa.

Leia também: Polícia aponta namorada como mentora intelectual de mortes de família no ABC

Outros dois homens que participaram do crime também estão presos. Um deles teve a prisão decretada, e o outro foi levado para a delegacia depois de ser flagrado com uma arma de fogo enquanto a polícia o procurava. A polícia ainda procura outro homem que estaria envolvido no episódio: ele teria ido buscar os criminosos logo depois que o carro da família pegou fogo.

    Veja Também

      Mostrar mais