Carro da Polícia Civil do Rio de Janeiro
Divulgação/Polícia Civil
Operação é feita pela Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados.

A Polícia Civil e o Ministério Público estadual (MPRJ) realizaram, nesta segunda-feira, a Operação Luz, contra suspeitos de fraudarem bombas de postos de gasolina do Rio. Na ação, foram cumpridos quatro mandados de prisão e 13 de busca e apreensão. Conhecido como "Máfia dos Postos", eles entregam menos combustível do que é registrado nas bombas, que são adulteradas. Um foragido foi encontrado durante a operação e foi preso.

Leia também: Homem é suspeito de matar filho 27 anos após matar a própria mãe

"A operação era pra cumprir cinco mandados de prisão e treze de busca e apreensão. Desses cinco, quatro foram cumpridos. No entanto, um homem foi preso por "esbarrão". Fomos em uma casa, ele correu, seguimos e vimos que tinha um mandado de prisão pendente", contou Júlio Noronha Filho, da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD).

Durante as investigações, a DDSD constatou que a quadrilha é especializada em fraude eletrônica de bombas medidoras de combustíveis líquidos. O equipamento ilegal já foi encontrado em estabelecimentos do Grande Rio, da Baixada Fluminense, de Niterói e de São Gonçalo.

A quadrilha se passa por uma empresa lícita, tendo pelo menos 60 contratos de manutenção com postos de combustíveis em todo o estado. Dentre os postos onde técnicos e peritos já descobriram fraudes, assumidas pelos seus responsáveis.

Leia também: Homem mata ex-mulher, outras três pessoas e se suicida no litoral de São Paulo 

Ainda segundo a polícia , a atuação dos criminosos gera um prejuízo de 7 a 17% para os consumidores, que pagam por um quantia maior do que a efetivamente abastecida.

    Veja Também

      Mostrar mais