Tamanho do texto

Menina de 11 anos contou do abuso, sofrido em 2018, após ver vídeo sobre educação sexual. Caso foi registrado na cidade de Jaguaretama, no Ceará

vultos arrow-options
Elza Fiúza/ Agência Brasil
Caso de pedofilia é investigado

Um coronel da Polícia Militar identificado como Jaime de Paula Pessoa Neto, de 53 anos, é suspeito de estuprar uma criança de 11 anos junto à namorada dele, Lorena Bezerra de Melo, de 37 anos, na cidade de Jaguaretama, no interior do Ceará.

Segundo a polícia, o estupro ocorreu no ano de 2018. Ela só contou sobre o fato aos familiares em 2019 porque assistiu a um vídeo educativo na escola.

Segundo a garota, ela era trancada em um quarto e obrigada a assistir ao casal mantendo relações sexuais e também era tocada e abusada, sofrendo ameaças para não contar sobre o ocorrido. Ela narrou, ainda, que por muitas vezes, eles eles colocavam vídeos pornográficos na televisão para ela assistir.

Leia também: Em regime semiaberto por pedofilia, homem é preso por estuprar própria filha

O coronel era um amigo da família e morava próximo à casa dela. Ele negou que tenha cometido o crime . Em defesa, a namorada dele afirmou que levava a criança para passar os fins de semana na casa do namorado porque a mãe da menina não cuidava dela, deixando-a até mesmo sem comida.

Uma perícia detectou que a menina não teve rompimento do hímen ou violação na região do ânus. Com mandado de prisão em aberto, o homem foi encontrado no trabalho, na cidade de Concórdia, no Pará, e foi indiciado por estupro de vulnerável. A polícia não informou se a namorada dele também foi indiciada.