Homem se prostitui
Divulgação/Bruna Fantti/ODia
Homem se prostitui para pagar pensão e é preso ao reclamar à polícia de calote

Um homem, de 26 anos, que diz ter passado a se prostituir para pagar a pensão alimentícia , foi preso nesta quinta-feira (31) após ir até a delegacia do Leblon reclamar que não havia recebido o pagamento por uma programa que fez na cobertura de um apartamento no bairro, com duração de 48 horas , com um casal gay. Ele tinha um mandado de prisão ativo, desde fevereiro deste ano, por não pagar a pensão ao filho de seis anos, que já totaliza o valor de R$ 12 mil.

Leia também: Câmera flagra mulher prestes a abandonar bebê em sacola plástica na rua

Paulistano, o homem afirmou que veio ao Rio para "uma temporada lucrativa". "Sou casado, minha esposa sabe o que eu faço. Por conta da crise financeira passei a me prostituir. Pago minha faculdade, meu apartamento e tento ajudar o meu filho. Eu paguei parte da pensão para a mãe dele, mas a justiça ainda não deu a baixa no mandado", disse em entrevista ao jornal O Dia ainda na delegacia. De acordo com ele, que usa o nome de Felipe nos programas, sua arrecadação mensal chega fica entre R$ 10 mil e R$ 15 mil por mês.

Segundo o rapaz, ele caiu em uma armadilha, ao ser contratado por um brasileiro, que é casado com um suíço. "Ele me propôs uma fantasia sexual com o marido: não contou ao suíço, milionário, que eu sou garoto de programa. Na sauna, então, nos encontramos e fomos para a cobertura. Eles consumiram drogas e eu fiz o serviço, transando com o suíço até 4 horas da manhã", afirmou.

Leia também: Jovem morre após ter 40% do corpo queimado por ex-namorada durante briga no Rio

O primeiro encontro ocorreu no início da tarde do dia 29. "De madrugada, eu estava sugado, sem comer nada, ele (o brasileiro) só me deu R$ 50 para o táxi e disse que acertaria o pagamento depois. Aí, três horas depois que saí do apartamento, o brasileiro me ligou e disse: quero transar só com você, em um motel", contou, bocejando e comendo um lanche que havia pedido, na delegacia.

Felipe, então, foi para o motel, onde diz ter permanecido com o brasileiro e trabalhado por algumas horas. Já era noite quando ele quis receber o pagamento, mas o brasileiro disse que só poderia pagar no dia seguinte. "O programa inicial que a gente tinha combinado era de R$ 350. Já estava em R$ 5 mil e ele disse que não iria pagar. Começou a escrever no Whatsapp que eu estava ameaçando, que eu tinha invadido o apartamento dele, e que iria chamar a polícia. Disse: vamos na polícia", afirmou.

Chegando na 14ª DP(Leblon), os dois, brigando no balcão, contaram suas versões. A polícia, então, mandou chamar o cônjuge suíço, que nada sabia. "Ele (o suíço) propôs ao Felipe pagar metade do programa que o marido estava devendo. O Felipe aceitou. Assim, não fizemos o registro de ocorrência por estelionato. No entanto, o Felipe estava com esse mandado de prisão em aberto e foi preso", contou um agente.

Leia também: Vítima atropela homem que o assaltou minutos após crime; veja vídeo

Ele ficou detido em uma cela da delegacia. Antes de ser encaminhado para o local, conseguiu fazer uma ligação para a esposa contando o que tinha ocorrido. "Neguinha, vou ter que ficar aqui até tudo se resolver", disse o homem ao telefone.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários