Delegacia de atendimento à mulher
Reprodução/Wikipedia
A delegada Vilma Alves conta que o policial deve responder em liberdade.

Um policial federal do Piauí , que não teve a identidade revelada, está sendo investigado por agredir, humilhar e obrigar sua esposa a pagar multas – que variavam entre 50 e 20 reais – para que ela aprendesse ‘a ser mãe’.

Leia também: Preso suspeito de produzir e divulgar pornografia infantil na internet

O caso foi denunciado, nesta semana, pela esposa na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher do Centro de Teresina . Ele está sendo acusado por crime de violência moral, psicológica, patrimonial e física.

A delegada responsável pelo caso, Vilma Alves, conta que a vitima foi ‘multada’ pelo marido por situações como esquecer a salada sobre a mesa ou molhar móveis enquanto dava banho no filho do casal.

Em depoimento, o policial confirmou a ação. Os abusos morais começaram há cerca de dois anos, após o casamento e nascimento do filho.

Leia também: Ações de Bolsonaro e Witzel legitimam a letalidade policial no Brasil

Além das multas e de agressões , o policial já havia expulsado a vítima de casa, proibia que ela saísse com seu filho, restringia suas saídas sem ele e só a deixava ver televisão, se ele autorizasse.

A delegada explica que ele deve responder em liberdade pelos crimes. Um acordo também foi realizado entre o casal, para que a esposa saia da casa onde moram, mas podendo permanecer lá até encontrar outro local para residir.

Como denunciar casos de violência contra mulheres

Leia também: Cinco pessoas são presas acusadas de torturar homem em supermercado de São Paulo

A denúncia pode ser realizada em qualquer delegacia ou em unidades específicas para mulheres. Outra opção é ligar para a Central de Atendimento à Mulhe r no número 180 , que está disponível 24h e em todo o país. Outra opção é ligar para a Polícia Militar pelo 190 , em caso de flagrante.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários