Tamanho do texto

Cinco amigos tentaram fazer a trilha da cachoeira da fumaça, mas acabaram perdidos e só foram socorridos por PMs do Comandos e Operações Especiais

O Estado de São Paulo possuiu milhares de trilhas que levam a cachoeiras ou mirantes que lembram um verdadeiro paraíso. Mas para conhecer esses lugares é preciso estar sempre acompanhado de alguém que conheça a região para que tudo não vire um grande pesadelo. Caso isso aconteça, chame o COE.

Leia também: PM Ambiental apreende balão com a altura de prédio de 10 andares

Cinco jovens passaram a noite perdidos e foram salvos pelos PMs do COE
Divulgação
Cinco jovens passaram a noite perdidos e foram salvos pelos PMs do COE

A história dessa ocorrência de salvamento começa ainda na base do Comandos e Operações Especiais (COE). "A gente estava se preparando para sair em uma missão de combate ao tráfico, mas recebemos um chamado de uma ocorrência de cinco jovens perdidos em uma área de difícil acesso", revela o Tenente Marinho.

De acordo com o Policial, uma das próprias vítimas conseguiu fazer contato e acionou os Bombeiros. "O COPOM acabou passando o chamado para gente por se tratar de uma mata fechada, de difícil acesso e por ser de noite. Na mesma hora, nós trocamos o material e montamos o equipamento de salvamento, continua o Tenente.

Leia também: Em ação com o helicópteros da PM, COE aterroriza o crime em São Paulo

O cinco jovens tinham entrado na trilha da cachoeira da fumaça, na região de Santo André, por volta das 11h da manhã e o primeiro contato com os Bombeiros foi feito apenas por volta das 20h.

"Assim que recebemos o chamado começamos a analisar o local informado por eles através do GPS. Eu conversei com um deles e passei algumas questões de sobrevivência. Eles estavam cansados e desorientados. Eles não tinham como ficar na mata por muito tempo, já que estavam sem material e não conseguiram nem fazer uma fogueira para espantar o frio", diz o Tenente Marinho do COE.

As duas equipes do COE, com oito homens, chegaram ao local da entrada da trilha por volta das 23h. "Nos começamos um percurso de 6 kms, mas a mata era muito fechada e resolvemos pernoitar na selva e recomeçar as buscas pela manhã. Era tudo muito escuro, optamos por esperar a luz para facilitar o deslocamento", diz o Policial.

Os Policiais Militares informaram os jovens pelo celular para que economizassem bateria e que retomariam a caminhada logo cedo. As cinco da manhã, os fantasmas verdes do COE já estavam na caminhada por um terreno muito perigoso. Perto das 8h da manhã, eles conseguiram chegar perto das vítimas.

Leia também: Canil da PM apreende drogas e armas durante operação no interior de São Paulo

"Nos ficamos em contato com eles para monitorar a situação. Enquanto, nós progrediamos pela mata fomos dando sinais com o apito para que eles ouvissem nossa aproximação. Eles estavam bem fora da trilha, um local complicado que tivemos cuidados para não expor os nossos homens. Usamos nossas técnicas de deslocamento em selva e em altura", continua o Tenente.

Euforia

O Policial diz que as vítimas ficaram eufóricos com a presença das equipes de resgate.

PMs do COE auxiliam jovens na volta da trilha
Divulgação/COE
PMs do COE auxiliam jovens na volta da trilha


Para eles foi uma surpresa muito grande quando viram o COE, eles esperavam os Bombeiros. Mas a missão era mais complicada e precisava do nosso trabalho. Eles agradeciam muito, ficaram emocionados e chegaram até a perguntar se o resgate era mesmo para eles ou se estávamos lá pra outra coisa. Só tinha visto o COE pela TV", conta o Tenente Marinho.

Muito fracos, com frio e algumas escoriações pelo corpo, os cinco jovens receberam os primeiros atendimentos ali no meio da mata mesmo. "Nós saímos da trilha por volta das 10h da manhã, com esse cinco rapazes e mais algumas pessoas que começavam a trilha. Alertamos para o perigo de se perderem", finaliza o Tenente.

Segundo o Policial do COE, as pessoas devem sempre procurar fazer visitas coordenadas, procurar a prefeitura da cidade e se caso se perder procurar voltar para o último ponto que conheça da trilha. "As vezes a pessoa percebe que está perdida, mas demora para pedir socorro e acaba ficando ainda mais perdido", finaliza o PM