Tamanho do texto

Em operação conjunta com o Policiais Militares do 4º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep), os PMs conseguiram atingir o tráfico de drogas

O Canil da PM desempenha um papel diferenciado dentro da Polícia Militar do Estado de São Paulo. As ações dos Policiais ficam completas quando são desenvolvidas com o apoio dos cães farejadores.

Leia também: ROTA mostra competência no combate ao crime e salva vítimas de dois sequestros

Drogas apreendidas pelo Canil da PM
Divulgação
Drogas apreendidas pelo Canil da PM

Nessa terça-feira (17), o Canil da PM mostrou sua eficiência durante uma operação conjunta com os Policiais do 4º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) na zona leste da capital paulista.

Na mesma rua foram duas ocorrências, na primeira ação, a equipe formada pelo Cabo Cristian, Cabo Navarro condutor do Cão Euro e o Soldado Moretti desconfiou de homem e resolveu realizar a abordagem. A desconfiança não foi infundada, minutos depois da revista, em consulta via rádio, os PMs foram informados que o suspeito era foragido da Justiça. Ele foi conduzido para o 65º Distrito Policial.

Leia também: A arte retrata o incrível trabalho da nossa Policia Militar Ambiental

Também pela rua Rua Dejanira, o Canil da PM apreendeu drogas durante a incursão. Os PMs foram entrando pela viela e passando o Cão de faro Seth (conduzido pelo Soldado Eduardo), não demorou muito e a operação deu resultado.

O cão indicou positivamente para odor de drogas na parte superior de um barraco abandonado, neste local foram encontradas duas bolsas com drogas e dinheiro. O material foi apreendido e levado para o DP.

Quais são as raças de cães que a PM usa? 

Canil Central da Polícia Militar do Estado de São Paulo
Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
Canil Central da Polícia Militar do Estado de São Paulo


São seis raças: Pastor Alemão, Pastor Holandês, Pastor Belga Malinois, Rottweiler, Bloodhound e Labrador. As missões de cada raça são divididas de acordo com suas habilidades específicas, como: faro, resistência, inteligência, agressividade, etc...

Leia também: COE surpreende o tráfico de drogas e deixa criminosos assustados em São Paulo

Um Labrador, por exemplo, não é indicado para fazer policiamento ostensivo, porque geralmente não possui a agressividade necessária. Normalmente, o Labrador é usado para farejar entorpecentes e explosivos. Já o Pastor Belga Malinois é utilizado pelo Canil da PM para policiamento e também faro. O Bloodhound tem aptidão para busca de pessoas.