Tapeçaria do século 17 roubada nos anos 80 é recuperada
Reprodução/redes sociais
Tapeçaria do século 17 roubada nos anos 80 é recuperada

Na Espanha, a polícia recuperou uma tapeçaria de 368 anos perdida desde 1980, quando foi roubada por um ladrão de obras de arte. A peça datada de 1654 foi batizada de "La apoteosis de las artes" (A apoteose das artes), ela ficava exposta na igreja de São Domingos, na cidade de Castrojeriz, no norte da Espanha. No final da operação, na sexta-feira, o artefato foi devolvido ao Arcebispado da província de Burgos, onde fica Castrojeriz.

A tapeçaria foi feita em Bruges por Corneille Schutz, um discípulo do pintor barroco Rubens. No dia 7 de novembro de 1980, a peça foi roubada na igreja pelo ladrão de obras de arte René Alphonse van den Berghe, que ficou conhecido por ‘Erik, o belga’.  O objeto é composto de seis partes e mede 6,5 metros. O local exato onde a peça ficou ao longo de 42 anos não foi divulgado.

A Interpol encontrou a maioria das partes que compõem a tapeçaria, em uma investigação que envolveu as polícias da Bélgica, Espanha e França. No entanto, um fragmento da obra, que retrata um querubim, ficou perdida.

A última parte da tapeçaria foi localizada pelo policial espanhol Ángel Alcaraz, que estudava roubos de peças de arte e decidiu retomar o caso. Ele entrou em contato com o advogado do belga, que o auxiliou a localizar o querubim desaparecido.

Leia Também

Van der Berghe foi preso em 1982, mas foi solto três anos depois, após ter cooperado com a polícia na busca pelas peças de arte que havia roubado e vendido. Em 2012, no lançamento de sua autobiografia, o ladrão deu uma entrevista ao jornal El País:

“Não sou um ladrãozinho qualquer. Sou um ladrão de primeira classe. Roubei pelo amor à arte e roubei itens de luxo”, disse na época.

Van der Berghe morreu em 2020, aos 80 anos de idade.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários