Vespa
Reprodução/Twitter
Parasita, vespa atordoa presas para depositar seus ovos no corpo hospedeiro

Cientistas encontraram no Japão uma nova espécie de vespa parasita que tem a habilidade de permanecer submersa por vários segundos e atacar suas presas dentro da água. Tais características lhe renderam um curioso apelido: Godzilla, como o famoso monstro dos filmes de ficção científica japoneses.

Segundo informações do jornal britânico Daily Mail, a descoberta, publicada na revista científica Journal of Hymenoptera Research na semana passada, foi feita pela equipe do pesquisador Jose Fernandez-Triana. O grupo conseguiu registrar um ataque da vespa "Godzilla" a uma lagarta. Nas imagens, a vítima é arrancada do casulo e recebe diversas picadas.

Considerada uma parasita microgastrina , a vespa realiza as investidas para transformar suas presas em receptáculos para seus ovos. O vídeo mostra a fêmea se locomovendo em um ambiente aquático em busca de uma larva de mariposa da espécie Elophila turbata. Ao identificar o alvo, ela mergulha, retira a lagarta do casulo e rapidamente insere seu ovipositor, o órgão para depositar os ovos, dentro do animal.

"Por ser uma espécie japonesa, escolhemos um nome que homenageia Godzilla , um monstro fictício que se tornou um dos símbolos mais reconhecíveis da cultura popular japonesa. Em segundo lugar, o comportamento parasitário tem alguma semelhança com o caráter do monstro, no sentido de que a vespa emerge repentinamente da água para parasitar o hospedeiro, da mesma forma que ele o faz nos filmes", afirmou Fernandez-Triana.

"Tínhamos razões biológicas, culturais e comportamentais para justificar nossa escolha do nome, além de ter se tornado motivo de diversão para o grupo, porque isso também é parte importante da vida e da ciência !", concluiu o cientista.

Ainda de acordo com a publicação, poucas espécies de vespas parasitárias podem ser consideradas aquáticas, menos de 0,1%, o que torna o encontro ainda mais raro. Na subfamília Microgastrinae, da qual a "Godzilla" faz parte, existiam apenas duas espécies capazes de lidar com o meio aquático. Porém, a novata é a primeira que consegue realmente mergulhar em busca das presas.

    Veja Também

      Mostrar mais