Uma grande fonte de energia foi avistada atravessando o Universo e deixou cientistas da NASA perplexos. Isso porque, esse fenômeno apelidado de “raio da morte” concentra uma energia que seria capaz de acabar com toda a vida no planeta Terra. A descoberta desse raio foi feita em 1970, graças ao satélite Uhuru da agência espacial, mas detalhes só foram revelados recentemente no Discovery Science.  

Leia também: 13 bilhões de anos! Imagens mostram as galáxias mais antigas do universo

Raio da morte
Reprodução/Science Channel
"Raio da morte" foi visto por cientistas da NASA


Leia também: Humanos explodem no espaço? Conheça 8 mitos astronômicos

Esse fenômeno recebeu o nome de “raio da morte” por conta de uma arma eletromagnética dos anos 30 que serviu de inspiração para as armas que são usadas atualmente por militares americanos, conforme divulgado pelo site Express. O nome oficial dessa fonte de raios-X é Cygnus X-1 e ela possui energia suficiente para acabar com a vida na Terra.

“Os raios-X são ondas magnéticas extremamente energéticas, basicamente como se a luz tomasse esteroides. Nós não detectamos os raios-X na Terra porque a atmosfera nos protege, o que é ruim para os astrônomos, porém é bom para os humanos, pois estes raios são perigosos”, afirmou o astrofísico Daniel Castro que também deixou claro que essa energia ainda é uma incógnita e, com razão, deixou os cientistas da época preocupados.

Leia também: 13 bilhões de anos! Imagens mostram as galáxias mais antigas do universo

O pouco que se sabe do Cygnus X-1 é que ele é altamente destrutivo por causa de uma força natural poderosa do cosmos, vinda de uma estrela morta em colapso que consome tudo o que está a sua volta. “À medida que a estrela é consumida, sua matéria superaquecida produz raios X, que geram pulsos de raios X do Cygnus X-1”, explicou Daniel.

    Veja Também

      Mostrar mais