tartarugas
Marcelo Krause/Mares Tropicais
Quando não estão se alimentando, as tartarugas-verdes passam a maior parte do tempo descansando ou dormindo no fundo do mar

Com ajuda de um drone, pesquisadores do Departamento de Meio Ambiente e Ciência (DES) do governo de Queensland, estado no nordeste da Austrália, conseguiram fazer imagens de 64 mil tartarugas-verdes em época de fazem seus ninhos para desovar. Trata-se da maior colônia do gênero no mundo da espécie que corre risco de extinção em vários países.

LEIA MAIS: Tartarugas sentem atração mortal pelo cheiro de plástico podre, diz estudo

Entre os motivos que têm feito as tartarugas-verdes marinhas desaparecerem estão detritos costeiros, perda de habitat, além de redes de pesca e poluição, conforme com a União Internacional para Conservação da Natureza .

Há dois anos, pesquisadores descobriram que boa parte das tartarugas-verdes seria fêmea devido às temperaturas mais altas causadas pelas mudanças climáticas, o que é levado em conta durante a incubação.

LEIA MAIS: Tráfico de animais: mais de 1.500 tartarugas são encontradas dentro de malas

E conforme estudo publicado na revista científica Current Biology, uma população em torno de 200 mil fêmeas desovando ao longo da costa leste da Austrália poderia entrar em colapso sem mais machos. Veja abaixo as imagens das tartarugas-verdes publicadas no Twitter.




    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários