Vidente
Reprodução
Vanga, que morreu em 1996, era considerada a "Nostradamus dos Bálcãs"

Morta em 1996, aos 84 anos, a vidente búlgara Baba Vanga ficou conhecida no mundo como a "Nostradamus dos Bálcãs" após fazer previsões corretas sobre os atentados terroristas de 11 de setembro nos EUA e em relação ao Brexit. Agora, quase 15 anos após sua morte, uma previsão foi revelada por uma de suas seguidoras e tem relação com o novo coronavírus.

Leia também: Coronavírus: comitiva de Bolsonaro que foi aos EUA tem mais quatro confirmações

Segundo informações do jornal britânico Daily Star, foi Neshka Stefanova Robeva, de 73 anos, ex-treinadora da equipe de ginástica rítmica da Bulgária, quem divulgou maiores detalhes sobre a previsão da vidente . Em conversa com Vanga ainda em 1996, ela foi alertada: "o Corona estará sobre todos nós".

Em postagem nas redes sociais, Robeva lembrou: "Tia Vanga previu isso quando estive com ela e não consegui entender exatamente o que essas palavras queriam dizer naquele momento. Só agora eu percebi que ela falava da gripe vinda da China . Espero que ela vá embora sem maiores problemas".

Ainda de acordo com a publicação, a dúvida pode ter acontecido porque a palavra " Corona ", em búlgaro, quer dizer tutela e é comumente associada com a influência da Rússia no país. Assim, ela inicialmente imaginou que a previsão tratava de um possível aumento deste poderio russo sobre os búlgaros, e não a uma doença.

Leia também: Doria critica Bolsonaro por manifestações: "atitude imprópria e inoportuna"

Além da fala sobre o coronavírus, a vidente também fez duas previsões sobre os líderes Vladimir Putin e Donald Trump. Segundo ela, 2020 será um ano complicado para os dois: enquanto o russo pode sofrer um atentado dentro do Kremlin, o norte-americano terá um tumor cerebral que poderá matá-lo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários