Tamanho do texto

Paul Playle mandava mensagens ameaçadoras a Amanda pela internet, fingindo ser seu ex; enquanto isso, se fazia de herói para afagar a esposa apavorada; britânico confessou o abuso e foi condenado a três anos de prisão

Além do perfil do ex-namorado, Paul  Playle, de 43 anos, chegou a criar outras duas contas para assustar a esposa
shutterstock
Além do perfil do ex-namorado, Paul Playle, de 43 anos, chegou a criar outras duas contas para assustar a esposa

Um homem fez uma perseguição online a sua própria esposa durante dois anos, fingindo ser o ex-namorado dela. Assumindo a identidade falsa de Anthony Reynolds, um antigo caso da vítima, o britânico Paul Playle, de 43 anos, passou a mandar mensagens suspeitas a Amanda, de 27 anos. Flagrado, ele foi condenado a três anos e meio de prisão no Reino Unido.

Leia também: Homem que empurrou passageira nos trilhos do Metrô em São Paulo é denunciado

Reynolds foi um rapaz que Amanda namorou nos tempos de colégio, mas com quem não tinha mais contato. A fim de deixar sua esposa insegura, Playle passou a humilhar e a assustar a esposa com mensagens no Facebook.

“Comecei a receber mensagens de quem eu acreditava ser o meu ex-namorado e fiquei apavorada. Ele me dizia que estava sempre me observando e que sabia muitas coisas sobre minha vida pessoal. Jamais desconfiaria de Paul, principalmente por me acalmar e confortar durante todo o período em que recebi essas coisas”, disse ao jornal Metro .

O marido da vítima, aproveitando-se da fragilidade da esposa, dizia “querer ser o seu herói e protetor" ao longo das ameaças. Mal sabia ela que Paul era o abusador da história, até que ele foi flagrado.

Mesmo depois de ser preso e liberado sob fiança, Playle continuou a enviar mensagens ameaçadoras, que só pararam quando ele voltou para a cadeia. Sentenciando-o na Corte de Lewes Crown, na quarta-feira passada (17), a juíza Christine Henson disse que as provas que o tornavam culpado eram esmagadoras.

Leia também: Homem é acusado de matar, desmembrar e cozinhar ex-esposa em caso de feminicídio

“Você assistiu sua esposa viver com medo por conta desse experimento de abuso online e ainda fingiu confortá-la. Esse é o comportamento mais calculista e cruel possível”, afirmou no tribunal.

'Pensei em suicídio. Não confio mais em ninguém'

Por meio de uma declaração lida no dia do julgamento de seu marido, a vítima relatou ter medo de sair de casa, ir ao trabalho e fazer coisas que antes eram comuns para ela.

“Pensei em suicídio diversas vezes. Agora, toda vez que o telefone toca meu coração dispara. Custo a acreditar que a pessoa que eu mais confiava pôde fazer algo tão terrível. Não confio mais em ninguém e estou em pânico”.

Ao longo das investigações, além do perfil falso de Anthony Reynolds, foram identificadas outras duas contas que imitavam os perfis da namorada e de uma amiga do ex-namorado.    

Leia também: Inventando câncer terminal, mãe raspa cabeça da filha e a droga durante 14 anos

O procurador Gareth Burrows alegou que Playle demorou muito para confessar o crime e para concordar que seu comportamento controlador e coercivo era preocupante e ofensivo.

Segundo a esposa do ‘ stalker ’, sua insistência em não confessar o crime tornou tudo ainda mais difícil. “Nós temos três filhos juntos. A mais velha mudou completamente depois do julgamento do pai. Espero que um dia consigamos retomar nossas vidas e seguir em frente”.

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.