Joe Biden e Vladimir Putin
Reprodução/Montagem iG - 17/03/2022
Joe Biden e Vladimir Putin

Pela primeira vez, a Rússia acusou formalmente os Estados Unidos de "envolvimento direto e ativo" na guerra da Ucrânia , informa a mídia britânica nesta quarta-feira (3). Até o momento, Moscou dizia que os norte-americanos apenas incentivavam o conflito.

Segundo o Ministério de Defesa, em entrevista do porta-voz Igor Konashenkov ao "The Telegraph", o compartilhamento de informações entre Washington e Kiev é um dos motivos da acusação. Para os russos, os ucranianos acessaram imagens de satélite e informações em tempo real norte-americanas para fazer ataques mirados a áreas onde a Rússia tinha bases em Donetsk - além de matar "cidadãos civis em massa" nessas localidades.

Além disso, essa troca de informações foi usada decisivamente em ações com os sistemas de lançamento de mísseis de alta mobilidade, os Himars, que têm ajudado o exército de Kiev a interromper a rápida tomada de territórios na região do Donbass, onde fica Donetsk, e a atacar estoques de armazenamento russos em cidades ocupadas ao sul do território.

Moscou e Kiev trocam acusações sobre os ataques que deixaram dezenas de civis mortos em algumas cidades de Donetsk e em uma prisão de Olevnika. Para os ucranianos, as ações foram feitas por mísseis russos; para Moscou, foram os Himars que realizaram os ataques.

Os sistemas Himars - 12 ao todo e mais quatro que vão ser enviados nas próximas semanas - são de altíssima precisão e muito difíceis de serem destruídos. O próprio presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que esses equipamentos têm "contido" o avanço russo e deixado o conflito "mais equilibrado".

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários