Kim Jong-un disse que a Coreia do Norte está
Reprodução
Kim Jong-un disse que a Coreia do Norte está "pronta" para usar forças nucleares caso se sinta ameaçada

O líder da Coreia do Norte , Kim Jong-un, disse que o país está "pronto para mobilizar" forças nucleares e combater qualquer ameaça militar dos Estados Unidos. O norte-coreano também criticou o novo presidente da Coreia do Sul.

"Nossas forças armadas estão totalmente preparadas para responder a qualquer crise, e a dissuasão de guerra nuclear de nossa nação também está pronta para mobilizar sua força absoluta com fidelidade, precisão e rapidez para sua missão", disse Kim, em evento para marcar o 69º aniversário do armistício da Guerra da Coreia, de acordo com a mídia estatal  KCNA  nesta quinta-feira (28).

O embate com os EUA exigiu que a Coreia do Norte realizasse uma "tarefa histórica urgente" de reforçar sua autodefesa, disse o líder, que acusou Washington de continuar com “atos hostis perigosos e ilegais” contra o Norte.

"As atitudes dos EUA estão levando as relações bilaterais a um ponto em que é difícil voltar atrás", afirmou Kim.

O líder também criticou o presidente da Coreia do Sul, Yoon Suk-yeol, acusando-o de ameaçar a segurança e o direito de autodefesa do Norte. O gabinete do mandatário classificou as afirmações do norte-coreano como "ameaçadoras" e disse que não é capaz de responder "forte e efetivamente" a qualquer provocação.

"Mais uma vez, pedimos à Coreia do Norte que siga o caminho do diálogo para alcançar a desnuclearização e a paz substantiva", afirmou a porta-voz de Yoon, Kang In-sun, em comunicado, de acordo com agência de notícias Reuters .

As falas de  Kim Jong-un ocorrem após autoridades de Seul e Washington dizerem que Pyongyang completou os preparativos para realizar seu primeiro  teste nuclear desde 2017.

O ministro da Unificação da Coreia do Sul afirmou, na última terça (26), que existe uma "possibilidade" desse teste ocorrer próximo ao aniversário do armistício, apesar de um militar ter dito que ainda não havia sinais imediatos de isso acontecer.

O ministro das Relações Exteriores sul-coreano afirmou nessa quarta que, caso a Coreia do Norte prossiga com o teste, provavelmente enfrentará sanções mais fortes, visando principalmente suas capacidades de ataque cibernético.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários