Suspeito de matar Shinzo Abe foi detido pelos seguranças logo após o ataque
Reprodução / NHK - 08.07.2022
Suspeito de matar Shinzo Abe foi detido pelos seguranças logo após o ataque

O homem preso por  matar o ex-primeiro-ministro Shinzo Abe nesta sexta-feira (8) em um atentado no Japão é um ex-integrante das Forças de Autodefesa do país, o equivalente às Forças Armadas do país asiático. O suspeito, identificado como Tetsuya Yamagami, foi detido pelas autoridades logo após o ataque, enquanto segurava o que parecia ser uma arma caseira.

Yamagami, de 41 anos, está desempregado e é morador da cidade de Nara, onde o atentado ocorreu . O local fica a 375 quilômetros a oeste de Tóquio, capital do país. De acordo com testemunhas e com os vídeos que mostram o momento exato dos disparos , o ex-premiê foi baleado duas vezes.

Abe chegou a ser socorrido de helicóptero e levado a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos. 

Agora, a polícia local faz buscas na casa do suspeito, que serviu no braço naval das Forças de Autodefesa por três anos, até 2005.

Ex-premiê Shinzo Abe morreu após ataque
Reprodução / Twitter - 08.07.2022
Ex-premiê Shinzo Abe morreu após ataque


De acordo com a emissora pública NHK , o homem disse que não tinha "rancor contra as convicções" do político. Segundo investigadores citados pela imprensa japonesa, no entanto, ele afirmou que estava "frustrado e insatisfeito" com Abe , que havia renunciado ao cargo de primeiro-ministro em setembro de 2020 por motivos de saúde.

O ex-premiê governou o país por quase oito anos, sendo o mais longevo em uma cultura com alta rotatividade entre os chefes de governo.

Ainda segundo a emissora, Yamagami teria dito às autoridades que pretendia matar Abe e os tiros foram disparados pelas costas do político, enquanto ele participava de um comício em Nara.

O ex-primeiro-ministro governou o país entre 2006 e 2007. Depois, retornou em 2012, renunciando apenas em setembro de 2020, após problemas de saúde.

Abe sofria de colite ulcerativa desde a adolescência e ficou conhecido por apoiar uma estratégia de crescimento econômico agressiva destinada a combater a deflação, a chamada Abenomics.

Na manhã de hoje, enquanto ele discursava do lado de fora de uma estação de trem pedindo apoio a um candidato local nas eleições de domingo,  os tiros foram disparados contra ele. Quando Abe foi levado ao hospital, já estava em parada cardiorrespiratória.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários